Carros em uma velocidade e precisão que você ainda não viu.

Mobi 2023: popular com ‘segurança opcional’ por até R$ 70,5 mil

Hatch da Fiat passa a oferecer controles de estabilidade e de tração e assistente de partida em rampa. Mas só se você pagar mais por isso

atualizado 28/03/2022 12:54

Foto: Fiat/Divulgação

O Mobi, hatch da Fiat, é capaz de rodar mais de 700km com um tanque de combustível. É o modelo preferido para quem precisa economizar combustível. A versão Like, a de entrada, porém, começa em R$ 62 mil. Agora, ela ganhou na linha 2023 que até oferta os controles de estabilidade e de tração e assistente de partida em rampa – equipamentos importantíssimos, principalmente os dois primeiros. Mas só como opcional. 

Não é caro o pacote: apenas R$ 700. Mas é optativo, vale frisar: brasileiro costuma escolher uma roda de liga-leve chique-brega no lugar da segurança, concordam? Se o comprador optar por uma cor especial, como a cinza Silverstone ou a prata Bari, pagará R$ 1.750 a mais.

 

Com pack multimídia Plus, mais R$ 3,5 mil: ele inclui chave-canivete com telecomando de abertura das portas, alarme antifurto, preparação para rádio (4 alto-falantes com 2 tweets e antena), central multimídia de 7″ com tela touchscreen e sistemas Android Auto e Apple Car Play, volante multifuncional e conexão Bluetooth. Resultado: seu popular Mobi vai lhe custar R$ 67.940. 

Se for a versão ‘esportivada’ Trekking, o preço larga em R$ 65 mil e aí vai um pouco além com a cor cinza Silverstone (mais R$ 1.750). O Pack Top exige R$ 3,8 mil a mais. Valor total? R$ 70.540. 

Esse pack vem com faróis de neblina, volante com regulagem de altura, cintos dianteiros também com regulagem de altura, alarme antifurto e outras coisas mais visuais, como rodas de liga leve 5.5 X 14″ escurecidas.

A Fiat, de qualquer forma, festeja: pela primeira vez na história da empresa, todos os seus modelos podem ser equipados com esses equipamentos de segurança. Embora, nesse caso, com um custo à parte. 

No geral, todas as versões do Mobi vêm de série com ar-condicionado, direção assistida, travas e vidros elétricos dianteiros, sensor de pressão dos pneus, airbag duplo e freios ABS com EBD (obrigatórios por lei).

E, também por fora, é possível incluir retrovisores elétricos, alarme, volante multifuncional com regulagem de altura e rodas de liga leve – além do sistema multimídia UConnect, que é item de série na versão topo de linha Trekking.


Segurança

Porque, então, os controles de estabilidade e tração são tão importantes? Eles coletam informações de sensores para identificar situações que podem ocasionar a perda da direção do veículo. Quando isso acontece, os dois atuam no freio de uma ou mais rodas para que o condutor mantenha a trajetória do Mobi mesmo nas condições mais diversas. Esse recurso reforça ainda mais a segurança. 

Vinculado ao dois, o assistente de partida em rampa (Hill Holder) facilita saídas em semáforos mesmo nas ruas mais íngremes. Ao detectar que o Mobi está em uma via inclinada, os freios são mantidos acionados por alguns segundos mesmo quando o pedal é solto. Isso permite que o condutor retome a marcha do carro com mais facilidade, sem risco de o carro recuar. O assistente atua da mesma maneira em manobras de ré, simplificando balizas em ladeiras.


Consumo

O motor é o de sempre: o 1.0 Fire 8V de 74cv e 9,7kgfm de torque, com transmissão manual de 5 marchas. Segundo o Inmetro, faz 9,6 km/litro na cidade e 10,4 km/litro na estrada, com etanol, subindo para 13,5 km/litro e 15 km/litro quando abastecido com gasolina, segundo o Programa de Etiquetagem Veicular.

Essa eficiência é combinada com o maior tanque de combustível do segmento, de 47 litros, permitindo que o Mobi rode até 705 km sem precisar reabastecer.


 

Mais lidas
Últimas notícias