Carros em uma velocidade e precisão que você ainda não viu.

Gasolina cara? Confira 10 dicas para economizar no dia a dia

Use o transporte público, caminhe mais, calibre bem os pneus e mantenha em dia a manutenção preventiva do seu carro. Acredite: isso funciona

atualizado 22/07/2021 12:16

Foto: Gilberto Alves/CEB

No início de julho, a Petrobras anunciou mais aumento no valor do combustível nas refinarias. Isso reflete, muitas vezes de forma desonesta, nos preços dos postos: o produto comprado por um valor menor, antes do reajuste, é elevado automaticamente. Não à toa, o  preço da gasolina já ultrapassa R$ 6 na maior parte do Brasil. Os acreanos pagam até R$ A Ticket Log, empresa de gestão de frotas, divulgou que o preço médio deste combustível no Brasil é de R$ 6,015. Podemos protestar, reclamar, ir às ruas, escolher melhor nossos dirigentes, mas podemos fazer algo sozinhos: mudar práticas e conceitos nas atividades diárias com o uso do carro. Confira as dicas que o Entre-eixos preparou para vocês, consumidores.

  1. Caminhe mais – Avalie sempre a possibilidade de deixar o carro em casa e realizar caminhadas para ir à padaria, à academia. É bom para reduzir colesterol, excelente para o bolso. E use mais o transporte público. É verdade que o sistema público de transporte do Distrito Federal é capenga. Mas quem mora em Águas Claras, por exemplo, pode usar os trens do Metrô-DF para ir ao Plano Piloto – e vice-versa. Gasta-se menos – ao reduzir o orçamento mensal para gastos com locomoção – e ainda evita-se os já célebres engarrafamentos na EPTG e EPIG.
  2. Seja consciente – Certos comportamentos trazem, por si só, maior consumo de combustível. Como manter o ar-condicionado sempre ligado. Carros com menor cilindrada gastam mais com o ar ligado. Por isso, use-o apenas quando realmente for necessário. Ou trocar frequentemente de marchas – e ainda na velocidade inadequada. É certo que os modelos mais novos, automáticos, fazem isso no tempo certo. Mas, às vezes, é preciso ajustar o modo de condução: esportiva ou eco, por exemplo? A primeira, por exigir alta RPM do motor, gasta bem mais. 
  3. Posto é posto – Às vezes, não é a marca (bandeira estampada na cobertura) que determina a qualidade da gasolina. Abasteça e confira as reações do seu carro: consumo, engasgados, panes etc. Não registrou problemas? Seja fiel ao estabelecimento, então.
  4. Pneus calibrados – Não esqueça desse detalhe. Quando eles estão com quantidade de ar abaixo do recomendado pelo fabricante, há resistência na rolagem e o carro consome mais. Isso sem contar o desgaste dos pneus, que são caros.
  5. Manutenção em dia – Mantenha o carro sempre bem cuidado. Um motor mal regulado gasta mais combustível. Assim também evita imprevistos que podem estourar as finanças. Por isso, verifique regularmente se é necessário trocar os filtros de ar, de óleo, de combustível e fazer a substituição das velas. Mas não faça em postos de combustíveis. Visite um mecânico de sua confiança.
  6. ‘Esqueça’ de aquecer – Até 20 anos atrás, era quase obrigatório o motorista dar uma acelerada caprichada ao ligar o carro. É para aquecer o motor, principalmente em períodos frios e em modelos movidos a etanol. Essa mania é agora desnecessária, mas há quem a pratique ainda. Isso gasta mais combustível do que pensamos. E mais:  quando estiver parado no farol, a aceleração é desnecessária. Outra prática que ajuda na economia é sempre ir observando o trânsito à frente e, ao notar que o tráfego vai parar, desacelere o veículo aos poucos antes de frear. 
  7. Peso pesado – Evite levar muito peso no carro. Você sabia que cargas superiores a 10kg já influenciam no consumo? A razão é óbvia: quanto mais pesado, mas força o veículo exige para entrar em movimento. 
  8. Alinhamento e balanceamento – O alinhamento correto o desgaste prematuro dos pneus; o balanceamento, evita ou reduz as trepidações. Juntos, previnem o excesso do atrito dos pneus no solo e não deixam que o veículo perca desempenho.
  9. Acelerar e frear – Dirigir de maneira agressiva, além de ser perigoso, também não é interessante quando o objetivo é economizar combustível. Para prevenir o desgaste do motor, é importante trocar as marchas de forma suave e medir a força do pé no acelerador para não desperdiçar combustível. O trânsito intenso das grandes cidades também contribui para que o combustível vá embora mais rápido, já que é muito comum andar e parar a todo instante. As acelerações e freadas exigem mais do motor e aumentam o consumo.
  10. Ponto morto – Não creia na lenda de que é econômico deixar o carro em ponto morto. Na verdade, a prática é bem perigosa: se o carro estiver desengatado e sem auxílio do freio-motor, o sistema de freio será mais exigido e poderá falhar. Deixe o carro engatado na marcha mais alta, mesmo sem acelerar.

 


Curiosidades

Eficiência energética
Uma gasolina com maior densidade torna o motor mais eficiente. Então, eficiência energética é sinônimo de melhor uso da fonte de energia, numa relação de causa e efeito: quanto maior o aproveitamento de energia e menor o índice de perdas, maior a eficiência do recurso energético. Para um veículo ter uma boa eficiência energética – precisar de menos recursos para operar, com menos perdas ou danos – é preciso um bom combustível.  Quando a qualidade do combustível é melhor, o veículo precisa consumir menos para percorrer a mesma distância. Enfim: o carro vai andar mais consumindo menos.  

Octanagem
Um bom combustível faz o carro ter bom desempenho nas mais diferentes condições – tanto em um engarrafamento em uma ladeira em pleno verão ou na partida em uma manhã de inverno. Vale, então, saber mais sobre a octanagem – o valor que indica a qualidade do combustível em relação à detonação; quanto maior a octanagem, maior a resistência à detonação. Os motores com tecnologias mais modernas – e que já estão em uso em uma grande quantidade de veículos – são mais sensíveis a uma metodologia chamada RON (número do octano de pesquisa, da sigla em inglês), que tem um valor mais alto de octanagem. Elevando o nível de octanagem, garante-se uma combustão adequada, além de melhor funcionamento e maior proteção do motor.

Densidade
A eficiência do motor varia de acordo com a massa específica (ou densidade) do combustível: quanto maior, menor o consumo – além de melhor rendimento para o veículo. Assim, com uma gasolina de maior massa específica, haverá uma maior massa para um mesmo volume de combustível injetado no motor, gerando mais energia na combustão e permitindo que você rode mais quilômetros com o mesmo volume de combustível.  

Vida útil do moto
O uso do combustível adequado permite melhor aproveitamento e proteção do motor. E uma gasolina de melhor qualidade não só melhora o rendimento dos motores, como também reduz substancialmente a possibilidade de problemas mecânicos dos carros – exigindo menos investimento em manutenção e diminuindo a possibilidade de quebras do motor. 

Fonte: Petrobras


 

Últimas notícias