Carros em uma velocidade e precisão que você ainda não viu.

Confirmado: Caoa Chery trará marca de luxo Exeed para o Brasil em 2021

Empresa estima crescer 70% e chegar, até 2023, ao ranking das 10 maiores montadoras. Vai também investir em híbridos e elétricos

atualizado 09/12/2020 11:38

Foto: Caoa Chery/Divulgação

O grupo Caoa, que detém fabricação, distribuição, desenvolvimento e comércio de marcas como Hyundai, Caoa Chery e Subaru, vai começar 2021 com várias iniciativas – como investir em modelos híbridos e eletrificados e em uma marca premium para chamar de sua. 

0

A Exeed nasceu em 2017 e tem como foco os SUVs (são quatro na China atualmente). O mote é seguir empresas como a Toyota, em que a Lexus é uma divisão de luxo, e enfrentar rivais alemães e norte-americanas.

Tanto otimismo, segundo o CEO da Caoa Chery, Márcio Alfonso, está baseado num fato até ruim, mas alvissareiro: a marca Caoa Chery teve em 2020 uma redução de vendas na ordem de 23%, enquanto a média da Anfavea, a associação dos fabricantes, foi de menos 35%.

“Devemos fechar 2020 com pelo menos 20,2 mil veículos. E estimamos para o ano que vem em torno dos 34 mil”, diz Alfonso. Ele, porém, reconhece que devem ultrapassar esse volume. “Queremos uma participação de 1,5% no mercado no fim do ano que vem”, diz.


R$ 1,5 bilhão
é quanto a Caoa investirá nos próximos cinco anos no complexo industrial de Anápolis (GO). A montanha de dinheiro servirá para produzir pelo menos 10 novos modelos – e reestilizar outros – e para reorganizar o centro de distribuição de peças


Em 2017, a Chery vendeu 3.734 veículos. Deve fechar 2020 com 20,2 mil. E projeta para o ano que vem emplacar 34 mil unidades. Com isso, pretende chegar a ter 1,5 % do mercado – deixando para trás marcas francesas há muito tempo no Brasil, como a Citroën.

A Caoa Chery tem apenas três anos de vida, quando um acordo juntou os grupos brasileiro e chinês. Desde então, vendeu mais de 45 mil veículos e chegou à 11ª posição no ranking nacional.

Sete veículos foram lançados nesse período: hoje, produz no país dois sedãs: Arrizo 5 e Arrizo 6 (foto); quatro SUVs: Tiggo 2, Tiggo 5X, Tiggo 7 e Tiggo8; além de importar, da China, o elétrico Arrizo 5e

Interior do Exeed LX: provável estreante da marca no Brasil

A Caoa Chery registrou em novembro seu melhor resultado: foram 2.254 veículos vendidos no período, num aumento de 12% em relação ao total de outubro (1.997 unidades) e de 18% na comparação com novembro de 2019 (1.902). O Tiggo 5X foi o mais vendido, com 824 unidades. Na sequência, Tiggo 2 (383); Tiggo 7 (383) e Tiggo 8 (339). 

O CEO Márcio Alfonso confrimou em entrevista on-line nesta terça-feira (8) que, entre as renovações mais próximas está o Tiggo 2. E as mudanças não se restringem ao visual: ele deve vir com um 1.0 turbo e câmbio CVT.

Ele também comentou sobre os projetos para ganhar mercados – como exportar modelos para países do Mercosul (a marca já vende o Tiggo 2 para o Paraguai).


O milésimo Tiggo 8

O SUV grande Tiggo 8 foi lançado há três meses, mas acaba de chegar à milésima unidade produzida (na planta de Anápolis). O modelo conta com muita tecnologia, motor 1.6 turbo GDI e uma vasta lista de itens de série. O veículo de número mil foi entregue a um cliente de São Paulo.


 

Mais lidas
Últimas notícias