Este é um espaço para celebrar a vida e as pessoas. Viaje comigo nesta aventura!

Retrato icônico de Marilyn Monroe pode ser arrematado por R$ 1 bilhão

A obra Shot Sage Blue Marilyn, de Andy Warhol, está prestes a se tornar a pintura do século 20 mais cara já vendida em um leilão

atualizado 26/03/2022 18:20

MarilynFoto: Lewis Whyld/PA Images/ Getty Images

Seja fã ou não de Marilyn Monroe, é difícil encontrar alguém que nunca tenha visto ou ouvido falar da icônica série de retratos coloridos da atriz. Batizada de Marilyn, a obra de 1964 é assinada por Andy Warhol, e um de seus quadros está estimado em nada menos que US$ 200 milhões (quase R$ 1 bilhão, na cotação atual).

A peça em questão é a Shot Sage Blue Marilyn — o retrato em que um dos maiores símbolos sexuais da década de 1950 aparece com o cabelo amarelo brilhante, com sombra azul em um fundo azul.

A responsável por anunciar o valor casa de leilões Christie’s. A pintura de Warhol vai liderar a semana de vendas de maio da empresa, e pode se tornar a obra de arte mais cara do século XX.

“Um exemplo inigualável da arte do século 20, de um dos mais importantes artistas americanos, Shot Sage Blue Marilyn é uma das imagens mais raras e transcendentes que existem”, afirma a Christie’s.

Marilyn
Todo o lucro da venda será destinado à fundação Thomas e Doris Ammann, em Zurique, que se dedica a melhorar a vida de crianças ao redor do mundo
Sobre a obra

A obra de arte foi produzida por Andy Warhol em 1964, dois anos após o falecimento do ícone Marilyn Monroe. As pinturas são consideradas a principal obra de Warhol e, à época, foi responsável por alçar o artista ao posto de “fundador da Pop Art”.

Para executá-la, Andy utilizou uma fotografia da atriz feita por Gene Korman. A partir de uma técnica artística chamada serigrafia — uma espécie de impressão com tinta vazada —, o artista produziu 10 reinterpretações da imagem original, todas com cores vivas combinadas entre si.

Apesar de muitos críticos considerarem Warhol um artista “repetitivo e sem profundidade”, a obra se tornou uma das maiores referências estéticas da história da arte moderna e é utilizada até hoje por todo o mundo, seja em colagens amadoras, seja em releituras de artistas conceituados.

Para saber mais, siga o perfil da coluna no Instagram.

Mais lidas
Últimas notícias