Este é um espaço para celebrar a vida e as pessoas. Viaje comigo nesta aventura!

Exclusivo! Álvaro Garnero revela bastidores do Café de La Musique no DF

Em encontro com a coluna, o empresário e apresentador que fundou o centro de entretenimento revelou detalhes do processo de abertura

atualizado 18/12/2020 19:33

Alvaro GarneroJacqueline Lisboa/Especial Metrópoles

As visitas de Álvaro Garnero a Brasília são frequentes, principalmente após o empresário e apresentador de televisão ser nomeado Embaixador do Turismo do Brasil pelo governo federal, em setembro deste ano. Com a chegada à capital do primeiro Café de La Musique, negócio do qual é fundador, sua relação com a cidade ficará ainda mais próxima.

De passagem para conferir os últimos detalhes da unidade brasiliense do beach club, Garnero conversou com a coluna Claudia Meireles sobre as expectativas para o novo empreendimento e os desafios de atuar em plena pandemia.

Há 15 anos presente no mercado brasileiro, o Café de La Musique finalmente atracou no Distrito Federal. “Demoramos para chegar mas, agora, viemos para ficar. Vai ser maravilhoso”, comemora o empresário.

Garnero conta que tinha montado um projeto para a região há cinco anos, mas encontrou problemas quanto à parte de licenças. Logo, a ideia não foi para frente. De acordo com o apresentador, Brasília não é uma praça fácil de se manter. O desejo, porém, era alimentado cada vez mais.

Alvaro Garnero
Para Álvaro Garnero, Brasília não é uma praça fácil para negócios

A expectativa foi amadurecendo e, por fim, chegou a hora. “A marca está muito consolidada. Estamos com 17 casas, e com pedidos para João Pessoa, Teresina e Manaus. Quando eu conheci o Roberto e o Gustavo [sócios da unidade local], eles me convenceram a fazer nesse espaço”, revela. O edifício escolhido foi o da antiga boate Pink Elephant, ao lado do shopping Pier 21.

A proposta da unidade é entregar três ambientes. O primeiro deles é um dining club, sofisticado restaurante na área externa, que será aberto na semana que vem, com funcionamento de terça a quinta-feira, das 17h às 23h, e de sexta a domingo, das 11h às 23h. O outro pilar é a boate, montada na parte interna do estabelecimento, a ser lançada apenas no próximo ano, conforme as normas estabelecidas pelo GDF em relação à pandemia de coronavírus.

Publicidade do parceiro Metrópoles
0

Por fim, tem destaque o beach club, espaço a ser inaugurado em 2021, em frente ao edifício, que funcionará sazonalmente – uma grande aposta de Álvaro Garnero. “A vista daqui é espetacular, e o beach club segue a linha das temporadas, como ocorre em Trancoso, Cumbuco e Jericoacoara, nesse formato de pop-ups que duram três meses, algo que é muito usado no verão da Grécia e de Ibiza”, explica.

Para Álvaro, a estratégia não cansa a marca e agrada ao público, que gosta de novidades sempre. O conceito, inclusive, também foi adotado no programa de televisão 50 por 1, apresentado pelo empresário. As exibições ocorrem em períodos intercalados, durante o Domingo Espetacular, na Rede Record.

A vivência no programa despertou no apresentador um olhar diferenciado para a riqueza que o Brasil carrega, além de sua diversidade cultural. A nova temporada vai ao ar no próximo domingo (20/12) e será dedicada às belezas nacionais de destinos surpreendentes. “Eu já passei por 100 países, mas sempre falo que o Brasil é o melhor do mundo. Com exceção da neve, temos tudo em abundância”, ressalta.

Inspirado nesta concepção, Garnero quis trazer a valorização da brasilidade para o Café. A abertura do estabelecimento em Brasília marca um novo momento da empresa, que adotou um conceito com foco na cultura amazônica, nordestina e indígena.

Alvaro Garnero
O apresentador e empresário idealizou um novo conceito da marca, com o intuito de ressaltar a riqueza e a cultura brasileiras

Para tirar a ideia do papel, Álvaro convocou o escritório de arquitetura paulista Imã Brands, das irmãs Vick e Bárbara Bacchi, e pediu que criassem a casa mais bonita de todas. “Elas fizeram um trabalho maravilhoso”, elogia o fundador do negócio.

A dupla tomou como referência a Floresta Amazônica e a Mata Atlântica, utilizando a biofilia, conceito que incorpora referências da mata para dentro do projeto. Elas também privilegiaram materiais naturais, como pedras, couro e palha. Na decoração, é possível observar que há muito artesanato indígena e nordestino, além de uma iluminação quente, que lembra o pôr-do-sol.

Vencendo a pandemia

E quanto ao andamento do empreendimento em meio a uma pandemia repleta de instabilidades? “É um grande desafio”, afirma. Para o empresário, o segredo é ir com calma e aderir ao soft opening. “Temos que usar esse problema para o nosso benefício. Se fôssemos inaugurar sem pandemia, teria 1.000 pessoas aqui. Então, vamos ajustando conforme tudo for fluindo e afinando o serviço e, quando tiver a vacina, colocar mais gente e fazer o que realmente deveria ser”, complementa.

Alvaro Garnero
Segundo Álvaro Garnero, abrir o Café de La Musique em meio à pandemia é “um grande desafio”
Conhecendo o novo Café

Após conversar com a coluna, Álvaro nos convidou para um tour pelo interior do Café de La Musique. Ainda em obras, mas ganhando forma, o empreendimento possui uma estrutura suntuosa. Na entrada da boate, a concepção da brasilidade já é colocada em prática. As paredes do corredor que leva o público à pista de dança são de taipa, método construtivo que tem o barro como base e é muito usado pelos indígenas.

Lá dentro, luzes de LED amarelas instaladas no teto valem destaque.

Menu prestigiado

Cumaru, bottarga, buriti, castanha de baru, maracujá pérola do cerrado e sálvia são ingredientes peculiares escolhidos pelo chef Lui Veronese e pelo mixologista Gutto Lopes para compor o cardápio de comidas e drinques. Polvo, lula, camarão, lagosta, salmão e mexilhões feitos na parrilla trazem um sabor diferenciado.

Nas entradas, o público poderá degustar ostras frescas, que serão servidas com limão, sal, azeite e pimenta. Outra entrada que poderá se diferenciar será um tempura com maionese da casa, com redução de shoyu com gengibre e molho fresco artesanal. A tradicional salada caprese também estará no menu, que vem com uma boa variedade de tomates, molho pesto com manjericão, muitas folhas verdes, e é finalizada com muçarela.

A casa servirá seu próprio tiramisu, acompanhado de mascarpone. Uma marquise de chocolates com queijo gorgonzola e caramelo também será um dos atrativos. O sorvete de capim-santo acompanhado de rodelas de abacaxi surge como opção mais leve, além de uma sobremesa de maracujá pérola do cerrado, que promete agradar muitos paladares, por seu sabor mais adocicado.

Publicidade do parceiro Metrópoles
0

Seguindo o conceito da casa de brasilidade e com foco na cultura indígena, alguns drinques levam o nome de tribos, como o Guarani, o Caetés e o Goitacá.

Brasília (DF), 16/12/2020. Jantar de abertura do Café de la Musique. Foto: Jacqueline Lisboa/Especial Metrópoles
Mixologista Gutto Lopes
Sobre o Café de La Musique

Em 2005, no estado de São Paulo, o empresário Álvaro Garnero lançou, nos moldes dos mais badalados clubs do mundo, o primeiro dining club do país, o Café de La Musique. Rapidamente, a casa se tornou um sucesso de público e, no ano seguinte, em 2006, expandiu suas operações para Florianópolis, tornando-se o beach club mais famoso do Brasil.

Desde então, é reconhecido no segmento de entretenimento de alto padrão e contribui com o desenvolvimento dos mercados de moda, música, gastronomia e luxo no país.

Atualmente, o Café de La Musique tem 17 operações espalhadas pelo território brasileiro. Ao total, são 11 na região Sudeste (seis em São Paulo, duas no Rio de Janeiro, duas no Espírito Santo e uma em Minas Gerais), duas na região Sul do país (em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul), três no Nordeste (em Alagoas, Ceará e Piauí); e uma no Norte, em Tocantins. A unidade de Brasília será a de número 18 do grupo.

Serviço
Café de La Musique Brasília
Onde: Setor de Clubes Esportivos Sul, Trecho 2, ao lado do shopping Pier 21
Contato: (61) 99983-6016

Para saber mais, siga o perfil da coluna no Instagram.

Mais lidas
Últimas notícias