Este é um espaço para celebrar a vida e as pessoas. Viaje comigo nesta aventura!

Conheça a “Princesa do Esgoto”, acusada de matar senhora de 87 anos

Laura Pazienza foi ao tribunal para responder pelo homicídio de Barbara Gustern após testemunhas a virem empurrando a vítima na calçada

atualizado 25/03/2022 14:30

Pazienza crimeFoto: Reprodução

Na última semana, mais especificamente no último dia 15 de março, a população de Nova York lamentou a morte de Barbara Maier Gustern, ex-treinadora vocal da Broadway de 87 anos. A acusada pelo homicídio de Barbara é Lauren Pazienza, uma socialite de 26 anos, também conhecida como “Princesa do Esgoto”.

A alcunha se dá pelo fato de que Lauren é herdeira da maior empresa de fossas do condado de Suffolk, em NY. A jovem é acusada de, no dia 10 de março, ter empurrado Barbara na calçada, após chamá-la de “vadia”. Após bater a cabeça no chão e perder bastante sangue, a treinadora foi hospitalizada. Dias depois, ela acabou falecendo por conta dos graves ferimentos.

Uma testemunha, que ajudou Barbara a se levantar, afirmou à polícia ter visto Lauren empurrando a vítima. De acordo com a promotoria, após o crime a jovem tentou a todo custo não ser pegar: fugiu da casa dos pais, parou de usar o celular, deletou redes sociais e até mesmo tirou do ar o site de seu casamento. Contudo, acabou se entregando à polícia.

Aparentemente não há motivação certa para o empurrão, uma vez que nada indica que Pazienza e Gustern se conheciam antes. Após a primeira audiência do caso, na última terça-feira (22/3), Lauren foi acusada e está sendo mantida sob fiança de US$ 500 mil (cerca de R$ 2,3 milhões).

Segundo a CBS New York, o advogado de defesa Arthur Aidala afirmou que Lauren é uma pessoa “muito moral, certa e justa”. Tal afirmação foi desmentida e repudiada por uma ex-colega da acusada, que afirmou em entrevista ao Daily Mail que Lauren não é nada disso, e a definiu como “puro problema”.

“O que mais me irritou foi ver que o advogado dela disse que ela é uma pessoa boa e moral. Ela não é (…) Ela é a garota-propaganda do privilégio branco. Ela nunca enfrentou quaisquer consequências em sua vida”, disse.

A próxima audiência está marcada para o próximo dia 26 de março. Caso seja considerada culpada, Lauren pode pegar até 25 anos de prisão.

0

Para saber mais, siga o perfil da coluna no Instagram.

Mais lidas
Últimas notícias