">
*
 
 

Economistas de Harvard e do MIT, renomadas universidades americanas, publicaram um estudo em que analisaram blockbusters violentos produzidos entre 1995 e 2004. Os resultados foram comparados com os índices de agressões registrados nos Estados Unidos. Os pesquisadores chegaram a uma conclusão surpreendente: filmes do gênero reduzem a criminalidade.

Os estudiosos apontam que a exposição a filmes violentos afeta os boletins de ocorrência de três maneiras. Inicialmente, eles identificaram uma redução significativa nas queixas de ações violentas durante o dia da exibição. O padrão também foi verificado no período noturno. Por fim, concluíram que os índices voltam ao patamar “normal” nas semanas seguintes à estreia das produções.

Confira 10 filmes sobre psicopatas disponíveis na Netflix:

Como exemplo, os acadêmicos citam “Hannibal” (2001), do diretor Ridley Scott. A comparação de dados mostra que o blockbuster reduziu o número de crimes violentos. Segundo informações apresentadas pelos economistas, a fita sobre o serial killer canibal teria impedido a ocorrência de 1 mil delitos agressivos.

Será possível?
As explicações de Gordon Dahl e Stefano DellaVigna, autores do estudo, não são psicológicas ou esotéricas, mas práticas.

Nas duas horas de uma sessão de cinema (mais o tempo para chegar, estacionar, comprar ingresso etc.) as pessoas, especialmente os homens, não estão na rua para cometer crimes. E, lembram os pesquisadores, filmes do gênero atraem espectadores com tendências violentas, que ficam ocupados durante a exibição.

Os economistas fazem questão de dizer que esse “raio-x” refere-se apenas aos efeitos a curto prazo e não indica as consequências de exposição contínua a filmes violentos.

cinemaViolênciaHalloweendia das bruxas
 


COMENTE

Ler mais do blog