*
 
 

Os transtornos mentais e comportamentais são as principais causas que levam os servidores do Distrito Federal a se afastarem do trabalho. Segundo relatório da Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão do DF, em 2017, 22,6% dos afastamentos no GDF foram ocasionados por doenças como ansiedade, depressão, estresse grave, entre outras.

Na Secretaria de Saúde, a realidade não é diferente. Dos 6.430 servidores ausentes, 18,97% deixaram de trabalhar por transtornos mentais e comportamentais.

A ansiedade é a principal causa de afastamento, respondendo por 29,3% dos casos. Logo em seguida está a depressão (26%) e a depressão recorrente (18,6%). O estresse grave também tem altos índices de incidência – 15,6% do total.

Uma servidora das que integra o quadro de afastamentos, e não quis se identificar, está, pela segunda vez, há meses fora do posto de enfermeira devido à depressão. “Infelizmente não consigo melhorar. É uma tristeza profunda, não tenho vontade de fazer nada”, relata.

SindSaúde

Na avaliação da presidente do SindSaúde-DF, Marli Rodrigues, os números do GDF e os relatos de servidores mostram o descaso que o governo demonstra em relação aos seus próprios funcionários precisa ter um fim.

Nossos servidores estão doentes – e muito doentes. Precisamos cuidar deles, precisamos ter outro olhar para quem cuida. Os servidores já trabalham sem condições e estrutura. Isso só aumenta o drama pessoal de cada servidor. O Governo do DF precisa ter esse olhar. Estão todos abandonados."
presidente do SindSaúde-DF, Marli Rodrigues

No mês de setembro, em que todo o Brasil luta contra o suicídio, o SindSaúde teve acesso a relatórios com números alarmantes sobre a saúde mental dos servidores do DF, especialmente da pasta da Saúde.

Em um ano, 529 servidores da Saúde foram afastados por conta de transtornos mentais e comportamentais. A informação consta em um relatório da Diretoria de Epidemiologia em Saúde do Servidor.

Noventa por cento dos atestados emitidos em 2017 a servidores públicos do governo do Distrito Federal, referentes a transtornos mentais e comportamentais, foram direcionados aos trabalhadores das secretarias de Saúde (41%) e Educação (49%). No ano passado, o GDF emitiu 15.557 licenças referentes a essas enfermidades a todos os servidores.

Atestados

Os servidores públicos da Saúde do Distrito Federal estão cada dia mais doentes. Entre 2015 e 2017, 40 mil profissionais foram afastados do trabalho por problemas de saúde e doença. Somados os dias que todos passaram longe da função, o número chega a mais de 4,3 mil anos.

Foram exatamente 1.581.554 dias de afastamento ao todo, nos últimos 3 anos, referentes a 40.048 servidores. A maioria esmagadora dos afastados é mulher, cerca de 80% do total. Entre os motivos que mais afastam os profissionais da Saúde do trabalho estão os transtornos psicológicos e mentais.



 


secretaria de saúde do DFSindsaúde-DF