*
 
 

Um belo dia acordei e me dei conta que aquele relacionamento me consumia e tomava todo o meu tempo. A demanda era tanta que já não tinha mais foco: dormia pensando nele, mal acordava e ele estava ali me enchendo de solicitações. A realidade era que eu precisava de espaço e necessitava retomar o controle da minha própria vida.

Foi quando tomei a difícil decisão de abrir o relacionamento com o WhatsApp. Já não seríamos exclusivos um do outro. Eu poderia ter tempo para me dedicar mais a mim e não passar todas as horas do dia exclusivamente com ele. Foi difícil? Foi! Ele não aceitou muito bem me dividir com outras pessoas, mas teve que ser assim.

E já fazem duas semanas que isso aconteceu e eu ainda sinto um pouco de ansiedade, de FOMO (fobia of missing out ou fobia de perder alguma informação). Dedico-me a ele apenas em horários específicos e sabem de uma coisa? A vida tornou-se muito melhor.

Brincadeiras à parte e sem fazer apologias a tipos de relacionamento (namorem, casem e boa pegação), o fato é que o nível de estresse que me foi tirado com essa atitude de “dar um tempo com o Whats” foi absurdo. E o que deu o clique para a decisão foi que na agonia de resolver minicoisas nada urgentes acabava não conseguindo ter uma lista de prioridades.

Minhas últimas duas semanas foram bem diferentes. Ainda estou aprendendo a conviver com essa nova rotina e a acostumar as pessoas do meu círculo ao novo hábito. Mas os dias foram muito mais produtivos e tudo parece estar sob controle. Estou dormindo e acordando melhor, além de conseguir zerar a lista de tarefas diárias com a saúde mental em dia.

Após o momento “desabafo” vou indicar algumas práticas para que o WhatsApp e outros apps não destruam a sua vida. Lembrando que, nenhum aplicativo é um vilão. O nosso bom senso é que nos trai de vez em quando. Essas atitudes vão funcionar em menor ou maior grau dependo da relação que cada um tem com o tempo pessoal e o celular.

1 – Baixe o app Moment – Screen Time Tracker
Essa primeira dica é para quem tem um nível de vício intenso em celular. A ferramenta mostra quanto tempo se passa em cada app e pode ajudar a estabelecer metas de redução. Também auxiliar a tomar vergonha na cara quando aponta que você passa mais tempo no Instagram do que trabalhando, ou conversando com sua mãe. Baixem!

2 – Crie uma lista de prioridades
Nessa espécie de guia, assinale aquelas atividades em que você precisa de mais foco. Silencie o WhatsApp e não as interrompa para resolver pequenos pepinos que, provavelmente, podem esperar. Minha regra de ouro é: se for muito urgente, alguém vai ligar!

3 – Estabeleça horários
Ao chegar no nível master de esnobar as várias mensagens do aplicativo, será possível estabelecer um horário para checar o app. Indico ter a mesma postura com email, Facebook e Instagram. Neste estágio você será um ser evoluído e terá a sua vida de volta.

4 – Entenda que WhatsApp não substitui email
É importante entender essa diferença. Pratique essa filosofia e incentive as pessoas a sua volta. Use a ferramenta para mensagens objetivas. Demandas maiores e complexas devem ser enviadas por email. A caixa de entrada garante melhor visualização e organização.

5 – Personalize os toques
Não vai conseguir silenciar? Tudo bem! Estabeleça toques diferentes para trabalho, amigos, filhos e família. Desta maneira você se incomodará em responder apenas o toque de contatos de urgência.

6 – Silencie os grupos da zueira
Sabe aquele grupo da bagaceira, da balada e dos memes? Comece o detox por aí. Mute nele. Nada de produtivo vai sair dessas patotas! Deixe para acompanhar ao final do dia, deitado no sofá, após produzir bastante.



 


WhatsAppestressefomo