*
 
 

Van Nobre é madrinha de artistas de peso e chama de amigo alguns dos nossos astros prediletos. Recentemente, ela foi a embaixadora da Women’s Music Event (WME) – premiação de música voltada para mulheres. Esses são pequenos exemplos do currículo de uma das mais famosas relações públicas do mundo. Sabe como ela construiu sua carreira? Aproximando-se das pessoas!

“Sempre gostei de gente, da interação com pessoas. Conhecer mundos diferentes através delas, das conexões. Olhar e ser olhada, interagir, fazer parte”, disse Van.

Batemos um papo sobre carreira, desafios do mercado e inspirações:

Conta para gente o que você faz…
Hoje, trabalho como relações públicas da Starter e da Ecko Unltd, do grupo Eixo.

Como foi a escolha dessa carreira?

Um dia vi o nome de uma arquiteta, achei maravilhoso, quis conhecê-la. Fiquei imaginando que ela ia até a casa das pessoas, conhecia histórias de vida e depois montava um projeto. Tentei seguir essa profissão, mas não era para mim. Me senti presa. Minhas amigas sempre me alertaram sobre minha veia ligada à música, arte e moda. No fundo, tudo isso está interligado. Então, decidi fazer comunicação. Fui convidada para trabalhar no Club Clash, um dos melhores clubes de São Paulo. Comecei como promoter e, com o tempo, fui gerente de relacionamento e consegui trabalhar com o grupo todo. As pessoas acham que tem muito glamour, mas é ralação. Era um ambiente no qual eu podia ser 100% eu e me apaixonei. Aí, apareceu a oportunidade de cursar moda e ser relações públicas da New Era. Degrau por degrau. Leva tempo até o seu nome virar algo de respeito.

Quais cursos e trabalhos foram essenciais para sua formação?
Logo que me formei fui professora de vendas e atendimentos da Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho (Sert). Quando você trabalha com pessoas, inevitavelmente, acaba desenvolvendo empatia. É doido, cada um tem uma história diferente e é isso me fascina.
Ter feito moda abriu minha mente para coisas novas. Eu vendo alegria, não um produto.

 

Você poderia dar algumas dicas para quem deseja começar a trabalhar
nessa área?
Tem que ter um olhar humano. Você precisa de persistência, pois nem tudo são flores. Humildade de chegar e também de sair. A venda pela venda não me interessa. Vivo de sonhos. Vi muita gente ganhar seu espaço com ralação, por exemplo, a Flora Matos, o Rael, a Karol Conka, Febem e M.Sário. A gente construiu isso juntos, ninguém faz nada sozinho.

Quais os maiores desafios da área hoje? Como está o mercado?
A crise fortalece o mercado, nesses momentos de tensão nascem as oportunidades – é a hora de olhar na contramão, pensar fora da caixa. As marcas precisam identificar quem são as pessoas que consomem, o cenário mudou. A gente vive pesquisando, tentando entender os clientes. A tecnologia aumenta o desafio, tudo está mais rápido. O lifestyle, atualmente, é o produto. Em São Paulo, várias lojas físicas investem pesado no digital. Trata-se de uma transição, não dá para fugir.

Tem algum muso ou musa que te inspira?
Não tenho. Cada pessoa desperta admiração em mim. Eu vou falar das mulheres, tem várias ganhando espaço na moda e na música. Vejo muitas manas lindas fazendo trabalhos de respeito, elas são minhas musas. Posso falar da Monique Dardene e da Claudia Assef. Máximo respeito. E também do Conexões Urbanas Femininas, de Brasília, das irmãs Marta Carvalho e DJ Donna – todas de força e muita luta. Podem achar bobagem falar disso, feminismo não é sufocar os homens, queremos mostrar o valor do nosso trabalho. E queria citar um RP inspiração da minha vida: Fabio Queiroz.


Pode indicar livros e sites?
A gente vai mudando de gosto a cada atualização. Vou de política à moda, música e arte. Trabalho também em uma ONG há cinco anos, abastecendo o conteúdo. Então, é natural ler sobre
atualidades e notícias diárias, ver o que acontece no mundo… Atualmente, tenho usado muito o Instagram para entender comportamento e consumo.

Hoje, os livros que andam comigo são para reconectar a alma, coisas de amor, meditação e relações. Um dos que li recentemente e mais gostei foi Por Onde Estão as Pessoas Interessantes, de Daniel Bovolento. Indico o site Fashionista.

Quais sãos seus perfis favoritos no Instagram?
@lukasabbat – sangue jovem. Acho uma gracinha;
@prettamesmo – linda de ver e de viver;
@magamoura – pretinha ousada;
@wearemooc – referência pra mim;
@marianamelllo – gosto do jeito que leva a vida profissional: menina, mãe e mulher;
@mequetrefismos – escritora, fashionista, colunista e carnavalesca que a gente respeita;
@aminamuaddi – feliz e original! Tudo fica lindo nela;
@sopedradamusical – melhores músicas;
@walerioaraujo – muso divertido.

Quais canais do YouTube você segue?
Basicamente, vejo lançamentos de clipes. Eu não sou seguidora de canais.

O que bomba nos seu Spotify?
Eu gosto de tudo, tenho zero preconceito com música. Vou de Caetano ao funk. Tudo tem seu valor. Acho engraçado quem critica algum tipo de som sem considerar tudo que está envolvido, tem pessoas trabalhando por aquilo…

Artistas: Elis Regina, Chico Buarque, Nana Caymmi, Roupa Nova, Gilberto Gil, Flora Matos, Bivolt, Rimas e Melodias, Rael, M.Sário, Nina Simone, IAMDDB – Shade, Jack Johnson, Rihanna, Wu-Tang Clan e Kanye West.

Pode fazer uma listinha de músicas?
1- Drake – Controlla feat. Popcaan
2- DJ Khaled – Wild Thoughts feat. Rihanna e Bryson Tiller
3- SZA – Broken Clocks
4- Kendrick Lamar – LOVE. feat. Zacari
5- Mapei – Don’t Wait
6- Anitta – Vai Malandra feat. Tropkillaz e DJ Yuri Martins
7- Dua Lipa – IDGAF
8- Berhana – GreyLuh



 


modarelações públicasvan nobre