*
 
 

Um dos fetiches que têm ganhado mais destaque nos últimos anos é o shibari. Prova disso é que, nos dias 22 e 23 de março, Brasília receberá o primeiro festival da prática do Brasil, o Entrelace. A programação do evento conta com exposições e exibição de documentário, além de performances e oficinas com grandes nomes do movimento, com destaque para Pauline Massimo. Ela é fundadora, artista e instrutora da Learn Shibari.

Radicada em Barcelona, Pauline começou a praticar aos 19 anos, experimentando sozinha com tutoriais on-line. Pouco tempo depois, foi convidada a modelar para ações de amarração e aproveitava esses momentos para aprender. “Criamos uma pequena comunidade em Madrid, e muitos me pediam que os amarrasse e ensinasse o básico, inclusive em eventos. Aos poucos isso virou meu trabalho em tempo integral”, revela.

A instrutora não se considera parte de nenhum movimento ou estilo específico. Sua experiência de sete anos vem de uma série de workshops e aulas particulares com os melhores riggers (especialistas que fazem as amarrações). Ela já estudou com Kazami Ranki, Kinoko Hajimi, Naka Akira, Otanawa, Pedro Cordas e Ren Yagami. Além disso, graças ao conhecimento de ioga e acrobacias circenses, Pauline tem uma profunda compreensão dos mecanismos corporais.

“Eu aprendi que a paciência é a chave para qualquer coisa que você queira fazer certo e bem. Com o shibari, eu também descobri em mim alguém muito mais forte do que eu pensava e encontrei aceitação para como eu sou”, divide Pauline.

Por fim, Pauline espera que as pessoas sejam mais cautelosas e prestem atenção ao que estão fazendo. “Shibari não é brincadeira de criança. Os riscos que nos atraem podem não ser atraentes aos outros. É preciso respeitar as escolhas de cada um. Assim, todos podem encontrar prazer, diversão e satisfação na prática”, finaliza.

Confira um passo a passo para iniciantes no shibari:

Contraindicações
1) Não se apresse para começar a suspensão. Não tente suspender sem a devida orientação de alguém qualificado e, mesmo que você tenha aprendido recentemente, não tente fazer isso sozinho;
2) Não saia da suspensão sem saber como é a estrutura e do que ela é feita;
3) Cuide bem de suas cordas e só use seus próprios equipamentos quando se trata de suspender alguém;
4) Não tente imitar algo que você viu sem entender corretamente como é feito;
5) Não brinque com fogo e cordas;
6) Não suspenda com cordas sintéticas sem aprender como elas se comportam e como usá-las em suspensões;
7) Não tente esconder qualquer acidente que você teve;
8) Evite molhar as cordas de fibras naturais ou lavá-las na máquina de lavar.

Reprodução/Instagram

 


festivalfeticheshibariBDSMPauline Massimoentrelacelearn shibari