">
*
 
 

Climão em Nova York. O jovem jornalista francês Martin Weill, do Canal +, foi aos Estados Unidos cobrir a 71ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas. O repórter abordou a comitiva portuguesa e entrevistou Marcelo Rebelo de Sousa sem fazer a mínima ideia de que se tratava do presidente de Portugal.

Weill abordou os portugueses e perguntou sobre as eleições norte-americanas. Diplomático, o chefe do Executivo de Portugal falou que “tinha um princípio de não comentar as eleições de países amigos”.

Em seguida, o repórter indaga: “Vocês pertencem a qual delegação?”. Marcelo Rebelo de Sousa, já rindo, responde: “Portugal”. Em seguida, Weill questiona qual é a função do entrevistado, que diz: “Eu sou o presidente da República de Portugal”.

De volta ao estúdio, o jornalista Yann Barthès brincou com a situação: “Martin, você deu um grande golpe nas relações diplomáticas entre Portugal e França”. O repórter devolveu: “Eu prometo que vou revisar sobre quem é meu chefe de Estado”.

O programa em questão é Le Quotidien, comandado pelo jornalista Yann Barthès: um sucesso da televisão francesa, que conta com 1,2 milhões de espectadores. Na atração, que prima pelo bom humor, o apresentador exibe reportagens sobre temas mundiais e franceses, além de entrevistas com celebridades.

Weill fez uma reportagem na qual perguntou a diversos diplomatas sobre uma “possível preocupação” com a eleição de Donald Trump. Ao perguntar aleatoriamente, ele acabou chegando a delegação portuguesa e pagou o “mico diplomático”.



FrançaPortugalMarcelo Rebelo de Sousa
 


COMENTE

Ler mais do blog