Paula Burlamaqui, aos 52 anos, faz topless em ensaio na banheira

A atriz revelou detalhes sobre sexo, procedimentos estéticos, o marido 13 anos mais novo do que ela e adoção

Reprodução/ InstagramReprodução/ Instagram

atualizado 24/09/2019 20:55

Paula Burlamaqui fez um ensaio fotográfico com o tema primavera. A atriz de Órfãos da Terra se abriu para o GShow em entrevista sobre a carreira e sua vida pessoal com o marido, Edu Reys, que é 13 anos mais novo do que ela.

Apesar de se sentir linda, Burlamaqui passou por diversos procedimentos. “Me acho bem bonita, linda. É uma coisa espiritual. Nos meus cabelos, coloco aplique. Não gosto deles finos. Meu peito estava caidinho, coloquei silicone. Tudo pode melhorar. Minha testa estava enrugada e estava me dando depressão, apliquei botox. Não vou poder sofrer por mais nada. Se puder fazer, faço.”

Ela ainda falou que fazer sexo aos 50 é muito melhor do que na juventude. “Quando se é muito jovem, até os 30, acontece de se relacionar com pessoas erradas. Aos 50, não corre mais esse risco”, explica. “Você escolheu realmente, optou por trocar afeto com a pessoa. Sexo com afeto é melhor do que na noitada, na pegação. Mas o jovem tem que viver isso e tudo bem.”

O que muda no sexo para a mulher de 50 é a qualidade. Você se relaciona com quem escolhe de verdade. Quando acontece é maravilhoso, intenso. Todos os meus namorados fui eu quem escolhi. Olhava e falava: ‘Esse aí eu quero’. São escolhas. Com 50 é difícil errar

Paula Burlamaqui

Sobre o marido, a atriz declarou que ele é maduro: “De cabeça, Eduardo é mais velho do que eu. É tranquilo, caseiro e maduro. É casamenteiro”, explica. “Casou novo e ficou 20 anos em um relacionamento. Sempre trabalhou desde novo, faz milhões de coisas, teve um crescimento pessoal muito parecido com o que tive. Não tem muita diferença. Ele não tem ciúmes de mim. Eu abraço, dou beijinho, sou expansiva com os amigos e ele nunca falou nada. Também sou zero ciumenta.”

A atriz também contou ao Gshow que pretende adotar. “Congelei os óvulos em uma época em que estava muito a fim de ser mãe. Essa vontade é igual montanha-russa, vai e volta”, desabafou Paula. “Agora estou mais tranquila em relação a isso, principalmente depois dessa novela. Penso em adoção, tanta gente precisando de lar, carinho, acolhimento, nem o fato de querer engravidar me dá essa angústia. Para adotar tem que ter responsabilidade, ser consciente. Venho amadurecendo a ideia”, disse.

SOBRE O AUTOR
Clarice Rosa e Silva

Formada em jornalismo no Centro Universitário de Brasília (UniCeub) e repórter de entretenimento e gastronomia no Metrópoles.

Últimas notícias