*
 
 

Poucas horas depois de disparar xingamentos contra Fernanda Lima, Eduardo Costa fez uma transmissão ao vivo em suas redes sociais.

“Sou um cara visceral, falo o que eu penso e, muitas vezes, pago um preço alto por isso (…) Não sou um cara hipócrita. São coisas que saem. Eu tento corrigir, mas sai”, disse ele, sem citar o episódio, na noite desta quinta-feira (8/11). “Eu pretendo melhorar um pouco mais, ser menos assim. Eu sou um cara extremamente temente a Deus. Me preocupo muito com o que Deus pensa sobre mim”, completou.

Durante a conversa com seguidores, o sertanejo também afirmou que prega para que as pessoas não critiquem os outros. “Eu sempre falo: ‘vamos evitar críticas’. A desonestidade está em você falar mal das outras pessoas, levantar falso testemunho. ‘Eduardo, você fala mal dos outros?’ Falo, mas pretendo melhorar”, prometeu.

Confusão
Tudo começou durante a terça-feira (6/11). No ar, Fernanda leu um texto sem citar qualquer partido ou político: “Chamam de louca a mulher. A mulher que desafia as regras e não se conforma. Chamam de louca a mulher cheia de erotismo, de vida e de tesão. Chamam de louca a mulher que resiste e não desiste. Chamam de louca a mulher que diz sim e que diz não. Não importa o que façamos, nos chamam de louca”, disse.

“Se levarmos a fama, vamos, sim, deitar na cama. Vamos sabotar as engrenagens desse sistema de opressão. Vamos sabotar as engrenagens desse sistema homofóbico, racista, patriarcal, machista e misógino. Vamos jogar na fogueira as camisas de força da submissão, da tirania e da repressão. Vamos libertar todas nós e todos vocês. Nossa luta só está começando. Preparem-se, porque essa revolução não tem volta. Bora sabotar tudo isso?”, finalizou Fernanda.

No comentário que escreveu nas redes sociais, Eduardo achou que era uma indireta ao presidente eleito, que o próprio cantor apoiou publicamente. “Mais de 60 milhões de brasileiros votaram no Bolsonaro e agora essa imbecil com esse discurso de esquerda! Ela pode ter certeza de uma coisa, a mamata vai acabar, a corda sempre arrebenta pelo lado mais fraco, e o lado mais fraco hoje é o que ela está”, escreveu o cantor.

“Será que essa senhora só faz programa pra maconheiro, pra bandido, pra esquerdista derrotado e pra esses projetos de artistas assim como ela? Bolsonaro não está sozinho, o povo está com ele, a senhora pode ter certeza. O Brasil vai sabotar é a senhora, se Deus quiser. Sérgio Moro vai começar a ajudar a sabotar, pode esperar”, concluiu o artista de 38 anos.

 



 


fernanda limaEduardo Costagospel