">
*
 
 

O câncer de mama é considerado o tipo mais comum entre mulheres no Brasil e no mundo, representando 28% dos tumores detectados anualmente. Sabe-se hoje que um estilo de vida saudável e visitas periódicas ao médico podem ser excelentes aliados para diminuir essas estatísticas.

Segundo especialistas, a melhor forma de combater a doença ainda é a prevenção. Estudos realizados pelo Fundo Mundial para Pesquisa do Câncer (WCRF, sigla em inglês) e do Instituto Americano para Pesquisa do Câncer (AICR) mostram que pelo menos 30% desses diagnósticos poderiam ter sido evitados.

O oncologista Davi Liu, da Clí­nica Fares, explica que o tumor de mama é considerado uma doença silenciosa, pois não apresenta sintomas em sua fase inicial. Por isso, falar sobre o assunto deve ser algo constante para a população entender a importância de se cuidar todos os dias.

De acordo com o especialista, hoje a ciência comprova que existem diversos fatores que colaboram para o câncer de mama. Alguns podem ser relacionados ao próprio organismo, como algumas mutações genéticas e histórico na família.

O estilo de vida também influencia. Ingestão de álcool, sobrepeso, sedentarismo, nuliparidade (mulher que não teve gestação), não-amamentação, uso de contraceptivos orais e a terapia hormonal após a menopausa são alguns dos fatores de risco. Por conta de todos essas rotinas serem ligadas ao universo feminino, é muito comum que o câncer de mama seja mais frequente em mulheres do que em homens.

A forma mais segura de descobrir o problema precocemente é através da realização da mamografia que deve ser feita a partir dos 40 anos de idade, pelo menos uma vez por ano. O autoexame da mama também é fundamental, pois ajuda a sinalizar nódulo ou algo suspeito"
oncologista Davi Liu

Segundo a nutricionista Adriana Lima, a alimentação adequada além de manter um corpo saudável, diminui as chances de um tumor mais agressivo. “Vegetais são ótimos alimentos para prevenção. Agrião, couve, rúcula, mostarda, couve-flor, brócolis, nabo, rabanete são ricos em glucosinolatos, que são aminoácidos excelentes para o organismo não só na prevenção quanto também no tratamento.”, explica.

O álcool também é nocivo ao organismo. A ingestão de 14 gramas por dia aumenta as chances em 30%. Ainda não existem explicações para a causa, mas o que a ciência constatou é que essa quantidade diária no organismo influência o aumento do estrondo e outros hormônios relacionado ao câncer com receptor positivo.

O estresse também aumenta as chances de desenvolver câncer de mama, quando se tem outros fatores de risco. Nesse caso, a prática de exercícios físicos é ainda mais recomendada, pois além de ajudar a se manter saudável, elas relaxam e ajudam a equilibrar o organismo.

 



 


COMENTE

Ler mais do blog