Exercícios regulam a fome e combatem transtornos alimentares?

Coloque o exercício físico como hábito na sua vida e usufrua de todos esses benefícios

iStockiStock

atualizado 31/10/2019 14:18

Ficar sem fazer exercício pode comprometer o organismo com complicações, como perda de massa magra, diminuição da sensibilidade à insulina, acúmulo de gordura visceral, entre outras consequências.

Vários desses fatores estão ligados ao fato da inatividade física diminuir a produção e secreção de hormônios produzidos pelos músculos conhecidos como miocinas.

Elas possuem papel importante na regulação de diversos processos orgânicos, combatendo, principalmente, aqueles pró-inflamatórios liberados pelos hormônios produzidos pelo tecido adiposo.

O exercício tem um papel muito importante no controle da fome e de transtornos alimentares. Isso ocorre devido à produção no músculo da Brain Derived Neurotrophic Factor (BDNF), uma proteína encontrada em altas concentrações no cérebro, hipotálamo e cerebelo.

Esse hormônio é responsável por funções biológicas importantes, como neuroplasticidade, e é algo que pode melhorar aspectos cognitivos relacionados à sua memória.

Coloque o exercício físico como hábito na sua vida e usufrua de todos esses benefícios em prol da sua saúde e estética.

SOBRE O AUTOR
Sabrina Mundim

Graduada em Educação Física pela Universidade Católica de Brasília (UCB), é especialista em Emagrecimento e Treinamento Resistido pela Universidade Gama Filho. Atualmente, colabora com o portal Metrópoles na coluna Na Medida.

Últimas notícias