Pedro Sampaio, novo ídolo teen, ganha R$100 mil por show e mora com os pais

O DJ e cantor caiu nas graças de Maísa e mostra que sabe produzir música

Pedro Sampaio sentadoInstagram/Divulgação

atualizado 01/06/2020 17:20

No mundo todo existe um forte mercado para o público adolescente. As meninas, em especial, consomem intensamente e, em especial, idolatram cantores por muitos anos. Mas o mercado brasileiro é problemático.

A Coluna Leo Dias ama Luan Santana, mas já disse mais de uma vez que ele precisa mudar o rumo de sua carreira. Já deu cantar para adolescente com faixa na cabeça. Luan é talentoso demais para se limitar a esse público. A imagem dele precisa amadurecer e, com isso, atingir os casais apaixonados.

Depois de Luan, por muito pouco Biel não virou ídolo. Mas erros gigantescos da gravadora arruinaram a carreira do rapaz, que tinha pouco talento vocal, mas era querido e bonito. Coitado, ele parecia um cego num tiroteio numa ação que jamais um artista sofrera antes. Não estamos defendendo Biel, ok? Faltava talento ali, mas ações coletivas de massacre virtual não condizem com o que esta coluna entende como humanidade.

0

Enfim, chegamos então a Pedro Sampaio. Ele é DJ, mas canta. Mas ele é cantor? Também. Descoberto no Facebook, graças a vídeos caseiros, o rapaz conseguiu o feito de estourar duas músicas em um ano. Sentadão já tem quase 200 milhões de acessos no YouTube. E o garoto é bom, sabe produzir música, tem uma voz boa e carisma de sobra.

Como este país quase não produz ídolos teen, em pouco tempo, Pedro Sampaio caiu nas graças de Maísa, a menina fenômeno do SBT, a Álvaro, um rapaz que não faz nada da vida, mas é um fenômeno no Instagram. Tudo isso fez o cachê dele disparar.

Cachê

Aos 22 anos, ele já cobra R$ 100 mil por show. Dennis, do alto de sua experiência, cobra R$ 250 mil.

E pra completar, Pedro é sexy, sabe dançar, sabe se portar, sabe falar e não faz o estilo que Biel fazia, do tipo “todas querem me dar”.

Ele sabe suas qualidades e ponto. E isso é ótimo. O pior defeito de um galã é saber do seu sex appeal. É brochante. E Pedro não é assim. Filho de um engenheiro e uma psicopedagoga, ele é funkeiro de classe média (sem demérito). Nasceu no Méier, o bairro mais suburbano do Rio, e vive com os pais até hoje.

Pedro poderia estar gigante, mas falta investimento no rapaz. O mercado está perdendo uma grande chance de lucrar. Público existe e as qualidades ele tem. Falta marketing. O Brasil ainda não aprendeu a criar ídolos teen. Pedro Sampaio está aí como uma única prova viva.

Últimas notícias