Jornalista política mais relevante de Goiás trabalha em órgão público

A jornalista Fabiana Pulcineli, do jornal O Popular e da rádio CBN, passou a dar expediente também no Ministério Público Federal, o MPF

Fabiana PulcineliReprodução/Instagram

atualizado 03/06/2020 18:27

E se Andréia Sadi dividisse seu cargo de repórter na Globo com algum posto em órgão público? Seria estranho, não é? Mas isso está acontecendo em Goiás. A jornalista Fabiana Pulcineli, do jornal O Popular e da rádio CBN, passou a dar expediente também no Ministério Público Federal, o MPF.

Pulcineli é a mais relevante e renomada jornalista da área de política em Goiás. Ela é admirada por seus colegas do Grupo Jaime Câmara, parceiro da Globo na região, ao ponto de ser considerada uma ídola para os demais profissionais da empresa.

0

Ela é uma conhecida defensora da transparência dos atos dos agentes públicos. Desde o final de 2019, porém, a jornalista passou a dar expediente também no MPF, como estagiária da Procuradoria Geral da República. A amigos próximos, ela confidencia que tem interesse em permanecer no setor após concluir sua graduação em Direito.

A dupla jornada de Fabiana Pulcineli, porém, aparenta carregar consigo um grande conflito de interesses. Afinal de contas, como a jornalista poderá repercutir eventuais denúncias envolvendo o Ministério Público se ela também presta serviços para eles?

Na redação do Grupo Jaime Câmara, colegas também apontam como fator problemático a existência de um recente relacionamento de Pulcineli com Marco Túlio de Oliveira e Silva, procurador do MPF no estado. Para eles, é contraditório que alguém que esteja na editoria de política tenha um namoro e um outro emprego diretamente ligados a área.

A Coluna do Leo Dias entrou em contato com Fabiana Pulcineli na tarde desta quarta-feira (03/06) e a questionou se a direção de O Popular e da CBN haviam sido comunicadas previamente de seu segundo emprego. A jornalista se limitou a responder que “sim”.

Na sequência, perguntamos se ela não considerava que existe um conflito de interesses entre as duas funções e como ela poderia noticiar uma eventual denúncia sobre o Ministério Público, sendo que também faz parte dele.

Inicialmente, Pulcineli não respondeu aos questionamentos da reportagem. Após quase uma hora, ela enviou uma nota de três parágrafos, desviando das perguntas feitas anteriormente, e encerrou a entrevista. Leia, a seguir, íntegra do posicionamento enviado por ela:

“Não faço reportagens relacionadas ao meu estágio, conforme acertado com a editoria. O período de estágio, por óbvio, é temporário e até aqui não houve nenhuma situação de conflito.

Iniciei o estágio no fim do ano passado, depois de passar em concurso do MPF, e nunca escondi que o fazia, inclusive em posts nas redes sociais e em comentários que faço em programas do próprio jornal.

Tenho 18 anos de jornalismo político e conquistei credibilidade e experiência suficientes para atuar tranquilamente no jornal e nos estudos de outra graduação”.

A Coluna do Leo Dias também procurou a diretoria do Grupo Jaime Câmara, em especial Silvana Bittencourt, editora-executiva de O Popular. Foram feitas insistentes tentativas de contato ao decorrer do dia, porém, os telefones da empresa estavam ocupados ou fora do gancho.

Últimas notícias