Flamengo x Rede Globo: transmissão de Fla x Flu no YouTube bate recorde

Seria esse o início de uma nova era de transmissões de jogos de futebol no Brasil?

atualizado 09/07/2020 11:55

Igo Estrela/Metrópoles

Após a TV Globo anunciar que não transmitiria mais jogos do Campeonato Carioca, Flamengo e Fluminense, protagonistas de um dos maiores clássicos do futebol brasileiro, disputaram a final da Taça Rio em uma transmissão inédita pelo canal da FluTV, no YouTube.

Pela MP 984/2020, ficou decidido que o direito de transmissão do jogo ficasse com o Fluminense, time com o mando de campo. O jogo decisivo chegou a ter 3,5 milhões de espetadores assistindo simultaneamente e, até o fechamento dessa coluna, 15,2 milhões já haviam visto o clássico.

0

O número garantiu um dos recordes de audiência em lives no Brasil, ultrapassando poderosas transmissões de artistas da música como Gustavo Lima e Marília Mendonça. A partir dos critérios de monetização, o FluTV pode ter lucrado certa de R$ 600 mil com a transmissão da partida. Seria esse o início de uma nova era de transmissões de jogos no Brasil?

No meio disso tudo, sabemos que Rodolfo Landim, presidente do Flamengo, tem circulado por Brasília e que Paulo Guedes, ministro da Economia, sugeriu o nome dele para o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque. Teríamos interesses políticos no meio disso tudo? Essas serão cenas dos próximos capítulos.

Entenda o caso

Depois que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) editou a medida provisória 984, que dá o direito ao mandante do jogo a transmitir a partida, o FlaTV exibiu ao vivo o jogo entre Flamengo e Boa Vista. A TV Globo disse em nota, no dia 02 de julho, que a emissora rescindiu o contrato que tinha com a federação de Futebol do Rio de Janeiro e com os clubes, pois o acordo foi violado,
já que a Globo tinha exclusividade de transmissão. Após esse episódio, a Globo liberou o Fluminense para divulgar a disputa.

Leia na íntegra a nota da TV Globo

“A Globo anunciou hoje que não vai mais transmitir o Campeonato Carioca. A emissora rescindiu o contrato que mantinha com a Federação de Futebol do Rio de Janeiro e com os Clubes, mas manterá os pagamentos desta temporada.

No entendimento da Globo, o contrato foi violado ontem, quando a FlaTV exibiu ao vivo a partida entre Flamengo e Boavista. De acordo com o contrato, a Globo tinha exclusividade na transmissão dos jogos do Campeonato Carioca. A Federação e onze Clubes assinaram o compromisso. A exceção foi o Flamengo. Na ocasião da assinatura e por várias temporadas em que o contrato foi cumprido, a legislação brasileira previa que, para a transmissão de qualquer partida, era necessária a obtenção de direitos dos dois Clubes envolvidos. Legalmente, ninguém poderia transmitir os jogos do Flamengo no Carioca e só a Globo poderia transmitir os demais.

No dia 18 de junho, a Presidência da República editou a Medida Provisória 984, passando ao mandante dos jogos os direitos de transmissão. O Flamengo se baseou nessa MP para transmitir a sua partida ontem no Maracanã. A Globo entende que a Medida Provisória não poderia alterar um contrato celebrado antes de sua edição e protegido pela Constituição.

Como a Federação de Futebol do Rio de Janeiro e os demais Clubes não foram capazes de garantir a exclusividade prevista no contrato, não restou à Globo outra alternativa além da rescisão e o encerramento das transmissões dos jogos do Carioca – incluindo os três jogos de hoje que encerram a quinta rodada da Taça Rio e que seriam exibidos no Sportv e no Premiere.

A Globo é parceira e incentivadora do futebol brasileiro há muitas décadas e entende a importância do esporte para Clubes, jogadores, marcas e torcedores. Exatamente por isso, apesar da decisão de rescindir o contrato imediatamente, a Globo está disposta a fazer os pagamentos restantes desta temporada, em nome da sua parceria histórica com o futebol e da sua boa relação com as equipes. Mas acredita que o futebol só será capaz de vencer as inúmeras dificuldades com planejamento e segurança jurídica para aqueles que investem altas quantias nesse negócio tão importante para o Brasil e para os brasileiros.”

Últimas notícias