Antonia Fontenelle pede ao MP que proíba livro de Felipe Neto. Ele rebate

Os advogados da atriz e empresária alegam que na página 25 do exemplar há uma brincadeira chamada Casa, Mata ou Trepa

atualizado 10/07/2020 17:14

Antonia Fontenelle pediu ao Ministério público do estado do Rio de Janeiro (MPRJ) que o órgão retire de circulação o livro Felipe Neto: A trajetória de um dos maiores youtubers do Brasil por considerar que a obra tem conteúdo impróprio para o público infanto-juvenil. Os advogados da atriz e empresária alegam que na página 25 do exemplar há uma brincadeira chamada Casa, Mata ou Trepa, onde o artista sugere a escolha de uma celebridade, entre elas o ator pornô Kid Bengala, justificando a última ação da brincadeira.

A Coluna do Leo Dias questionou a assessoria de imprensa de Felipe Neto sobre a ação de Antonia Fontenelle. E a defesa do youtuber alegou que o livro em questão já teria sido recolhido há anos e substituído por uma versão sem a página mencionada pela atriz. Além disso, o youtuber diz que na ocasião da publicação, 2017, produzia conteúdo para um público mais velho.

0

Antonia, então, não se deu por satisfeita com a resposta de Felipe Neto e rebateu o youtuber após a Coluna entrar em contato com ela sobre os argumentos do artista.

“Se ele disse, foda-se. Não é o que consta nos autos, fiz uma pesquisa em que diversas capitais do Brasil e até em Portugal e o livro era vendido. Os autos provam isso. Agora ele que corra para retirar o livro das pratilheiras”, afirmou a empresária.

Leia na íntegra a nota da assessoria de Felipe Neto:

“A assessoria de imprensa de Felipe Neto informa que o livro em questão já foi recolhido das livrarias de todo o Brasil há anos, e substituído por uma versão sem a página mencionada. Felipe Neto já deixou claro, inúmeras vezes, que a publicação foi elaborada em 2017, época em que produzia conteúdo para um público mais velho e gravava o quadro “casa, mata ou tr***”, com celebridades brasileiras em seu canal no Youtube. Após o acesso do público infantil ao canal, o livro foi recolhido no país inteiro e o quadro encerrado”.

Últimas notícias