Nova (velha) gestão argentina aposta em medidas 100% fracassadas

Não faz nenhum sentido, mas há uma compulsão de fazer exatamente as mesmas coisas e esperar resultados diferentes

redes sociais/ reproduçãoredes sociais/ reprodução

atualizado 31/10/2019 14:31

Na Argentina, o governo do presidente Maurício Macri foi derrotado por não ter conseguido resolver a penca de problemas que vêm infernizando a vida do país nos últimos anos – econômicos, sociais e de todos os outros tipos conhecidos pelo ser humano.

Qual a solução, para a maioria do eleitorado? Colocar no lugar de Macri, justamente, as mesmas pessoas que criaram cada um dos problemas não resolvidos por ele.

Não faz nenhum sentido, mas aí é que está: por uma compulsão jamais explicada até hoje, maiorias têm a tendência de fazer exatamente as mesmas coisas e esperar, a cada vez, resultados diferentes.

No caso da Argentina, a nova gerência – que é a velha, como dito acima – começou decretando aumento geral de salários, congelamento geral de preços e a proibição da entrada de fatos na economia nacional. É a corrida em busca dos 100% de aproveitamento no índice universal das coisas que jamais dão certo.

SOBRE O AUTOR
Últimas notícias