Composição da população da Itália explica mortes por coronavírus

É um horror, mas também é certo que as vítimas são praticamente quase só os velhos e doentes. A idade média dos mortos na Itália é 80 anos

atualizado 19/03/2020 15:55

Parece coisa da Idade Média, quando a “peste” fazia suas visitas periódicas aos países europeus e levava para a cova, nos bons anos, um terço da população de países inteiros.

Não vai se chegar lá, é claro, porque estamos em 2020 e não em 1020, e nesses últimos mil anos a humanidade aprendeu a se defender com a ciência e com o avanço mental em relação aos nossos antepassados.

Mas é um choque constatar que apenas num dia, ontem, 475 pessoas morreram na Itália depois de terem sido contagiadas pelo coronavírus. Nem a China, nos seus piores momentos, chegou a um número assim.

Já são 3.400 italianos mortos desde o início da epidemia, uma calamidade sem precedentes na história do país e da Europa nesta geração; matar mais que isso, só a guerra. Esse total já supera o da China (3200 mortos até agora), que tem uma população 25 vezes maior.

É um horror, mas também é certo que as vítimas, na verdade, são praticamente quase só os velhos e doentes. A idade média dos mortos na Itália é de 80 anos, 70% são homens e menos de 1% deles não tinham doenças graves antes de serem infectados – hipertensão, cardiopatias, diabetes e problemas pulmonares.

A Itália é, possivelmente, o país que tem mais velhos do mundo. Mais: a população idosa é a que mais cresce, porque nasce muito pouca gente e os casais não querem mais ter filhos. A conta está aí.

* Este texto representa as opiniões e ideias do autor.

Últimas notícias