Terracap prorroga concurso por 2 anos e promete chamar aprovados

Decisão foi publicada no Diário Oficial do DF de quarta-feira (06/11/2019) e envolve vagas que podem ter salários de até R$ 11 mil por mês

DivulgaçãoDivulgação

atualizado 07/11/2019 16:28

A Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap) decidiu prorrogar por dois anos a validade do concurso público realizado em 2016 e que teve o resultado homologado em 2017. Até agora, 63 aprovados foram convocados, incluindo 31 do cadastro de reserva, como informou o órgão público à coluna. A autorização foi publicada no Diário Oficial (DODF) de quarta-feira (06/11/2019).

Pelo edital, havia a previsão de 390 vagas para o cadastro de reserva, sendo 175 para nível médio e 215 para nível superior. Os salários são de R$ 7.951,13 para ensino médio e de R$ 11.717,56 para quem tem diploma universitário. São diversas áreas de atuação, como técnico administrativo e engenheiro agrimensor-cartógrafo.

Embora ainda não divulgue o número preciso, a Terracap confirmou que poderá convocar novos aprovados já nos próximos meses.

Veja a autorização:

Reprodução / DODF

Veja a tabela:

Fonte: Terracap

Ameaça de greve

O anúncio das novas convocações ocorre em meio à crise vivida entre o comando da agência e seus funcionários. Na tarde terça-feira (05/11/2019), a Terracap propôs um Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) com objetivo de reverter a suspensão de 23 benefícios anunciados após o vencimento do antigo ACT. A proposta da agência tem validade de dois anos.

O possível corte gerou indicativo de greve, e os funcionários da empresa se reuniram em assembleia a fim de decidir qual medida tomar. No total, 490 empregados seriam afetados, de acordo com o presidente do Sindicato dos Servidores e Empregados da Administração Direta, Fundacional, das Autarquias, Empresas Públicas e Sociedades de Economia Mista do Distrito Federal (Sindser), André Luiz Conceição.

SOBRE O AUTOR
Caio Barbieri

Cursou jornalismo no Centro Universitário de Brasília (UniCeub). Passou pelas redações do Correio Braziliense, Agência Brasil, Rádio Nacional e foi editor-adjunto da Tribuna do Brasil. Ocupou a assessoria especial no Ministério da Transparência e foi secretário-adjunto de Comunicação do GDF. Chefiou o relacionamento com a imprensa na Casa Civil, Vice-Governadoria, Secretaria de Habitação e na Secretaria de Turismo do DF. Fez consultoria para vários partidos, entidades sindicais e políticos da Câmara Legislativa e do Congresso Nacional. Assina a coluna Janela Indiscreta do Metrópoles e cobre os bastidores do poder em Brasília.

Últimas notícias