TCDF contrata pessoas com deficiência para digitalizar processos

Nos próximos meses, os processos físicos que ainda tramitam na Corte serão digitalizados. Ao todo, são 2,7 milhões de documentos

Divulgação/TCDF

atualizado 09/10/2019 19:00

Os processos físicos que ainda tramitam no Tribunal de Contas do DF (TCDF) serão digitalizados. A Corte recebeu nesta semana um grupo de profissionais formado por pessoas com deficiência que vão realizar o trabalho nos próximos meses. Eles começaram a atuar na segunda-feira (07/10/2019). Ao todo, são seis digitalizadores, sendo quatro com déficit auditivo e dois com deficiência física, além de um supervisor com formação em Língua Brasileira de Sinais (Libras).

O grupo vai digitalizar mais de 2,7 milhões de documentos e imagens. Eles foram selecionados pela Associação de Centro de Treinamento de Educação Física Especial (Cetefe), contratada pelo TCDF para a realização do serviço.

A Cetefe é uma associação sem fins lucrativos, que executa um programa social de trabalho e inclusão tecnológica de pessoas com deficiência. A associação oferece capacitação profissional e promove a inclusão dessas pessoas no mundo do trabalho em instituições públicas e privadas.

TCDF sem Papel

A digitalização dos processos físicos faz parte da iniciativa TCDF sem Papel. O projeto, já em desenvolvimento, inclui outras três ações a serem implementadas: o Protocolo Digital, que permitirá o recebimento, vista e cópia de processos e documentos em meio digital; o Barramento PEN, que trata da interoperabilidade entre o sistema de processo eletrônico do Tribunal (e-TCDF) e o Sistema Eletrônico de Informações (SEI); e a Expedição Digital, que permitirá a emissão de documentos para terceiros em meio digital.

Além de reduzir significativamente o consumo de papel, a digitalização dos processos contribui para maior eficiência e celeridade das ações de controle externo, pois elimina rotinas desnecessárias e proporciona maior acessibilidade aos documentos produzidos pelo Tribunal.

Últimas notícias