*
 
 

O deputado federal e presidenciável pelo PSL do Rio de Janeiro Jair Bolsonaro insinuou nesta quarta-feira (4/4) que o placar no Supremo Tribunal Federal (STF) mudou após o ingresso de militares no debate sobre a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

“Até ontem à noite, eu apostava que o Lula seria posto em liberdade por 7 a 4. Tivemos agora, e todos têm conhecimento, a participação do Exército nesta questão. O Exército Brasileiro não é uma força que vai estar subordinada a um governo de plantão para defender esse ou aquele partido. O partido do Exército, da Marinha e Aeronáutica chama-se Brasil”, disse durante entrevista compartilhada em sua conta no Twitter.

 


Eleição na fraude
Ainda no mesmo vídeo, Bolsonaro revela preocupação com a possível liberdade de Lula. “No momento oportuno, ele registrará a candidatura e entrará com recursos. Ao disputar as eleições, sem os votos impressos, o Lula tem tudo para se eleger na fraude. E o pior: a fraude pode se estender para os proporcionais. Estamos aí colocando um sinal vermelho para a democracia e para nossa liberdade”, disse.

A manifestação do parlamentar se deu antes de o Supremo Tribunal Federal formar qualquer maioria. Até às 21h30, seis dos 11 ministros da Corte tinhan votado e o placar era de 5×2 pela rejeição do habeas corpus de Lula. Até o fim do julgamento, qualquer um dos integrantes do STF pode mudar seu voto, mas essa possibilidade é improvável. O ex-presidente já foi condenado em segunda instância a 12 anos e 1 mês de cadeia, pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, no caso do triplex no Guarujá (SP). Confirmando-se a rejeição do HC, a Justiça Federal poderá determinar o início do cumprimento da pena.



 


STFForças ArmadasJair Bolsonaroprisão de Lula