*
 
 

Em mais uma investida contra quem o critica, o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) conseguiu junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) um mandado de segurança para impedir que o Sindicato dos Policiais Civis do DF (Sinpol) mantenha a campanha “não reeleja Rollemberg”, feita em faixas espalhadas pela cidade.

O TSE intimou a entidade, neste sábado (9/6), para que proceda “a imediata remoção de todas as publicidades sugestivas de não votar no governador do Distrito Federal, pré-candidato à reeleição”.
Já há algum tempo, a entidade que representa os agentes e escrivães da Polícia Civil do DF promovia campanha e justificava o pedido ao dizer que “ele [Rollemberg] é omisso e negligente com a saúde, a segurança e a educação”.

Procurado pelo Metrópoles, o presidente do Sinpol, Rodrigo Franco – o Gaúcho –, disse que a recente determinação não impedirá o sindicato de permanecer alertando a categoria sobre o atual governo. “Não poderemos mais pedir que não votem nele, mas nada impede que mostremos a situação atual do DF, especialmente da falta de segurança”, decretou.

Decisão liminar
A decisão monocrática é do ministro Napoleão Nunes Maia Filho, que assinou o mandado de segurança em resposta à ação do Partido Socialista Brasileiro (PSB-DF), representado na peça pela advogada Gabriela Rollemberg, filha do governador.

A decisão é liminar até o julgamento de mérito. Com isso, o sindicato fica também proibido de divulgar material com o mesmo conteúdo em qualquer outro local, inclusive em meios de comunicação. A multa diária pelo descumprimento é de R$ 20 mil.



 


TSESinpolrollembergeleições 2018PSB-DF