GDF: professor Tatá será reconduzido à presidência da Junta Comercial

O tucano já ocupa a direção do órgão, ainda subordinado ao governo federal. MP de Temer transfere estrutura para os quadros locais

Arquivo / PSDBArquivo / PSDB

atualizado 12/12/2018 15:52

O contador e administrador Antônio Eustáquio Corrêa da Costa – o  Professor Tatá – será reconduzido à presidência da Junta Comercial do Distrito Federal. Há um ano e meio ele já ocupa o cargo, mas ainda na estrutura subordinada à Secretaria Especial da Micro e Pequena Empresa (Sempe), do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC). A informação foi confirmada pelo governador eleito, Ibaneis Rocha (MDB), durante coletiva na tarde desta quarta-feira (12/12).

Com o envio ao Congresso Nacional da Medida Provisória que transfere a estrutura ao GDF, caberá ao governador eleito Ibaneis Rocha (MDB) indicar o comando do órgão. Filiado ao PSDB, Professor Tatá abandonou o projeto majoritário de Alberto Fraga (DEM) ao Palácio do Buriti para apoiar a campanha do emedebista, ainda no primeiro turno.

Professor dos cursos de contabilidade e administração do Centro Universitário de Brasília (UniCeub), Tatá foi também diretor-geral da Imprensa Nacional, secretário-geral da Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento do Distrito Federal (Adasa), e ocupou uma das diretorias da Companhia de Planejamento do DF (Codeplan).

Colaborou Ana Luiza Vinhote

SOBRE O AUTOR
Caio Barbieri

Cursou jornalismo no Centro Universitário de Brasília (UniCeub). Passou pelas redações do Correio Braziliense, Agência Brasil, Rádio Nacional e foi editor-adjunto da Tribuna do Brasil. Ocupou a assessoria especial no Ministério da Transparência e foi secretário-adjunto de Comunicação do GDF. Chefiou o relacionamento com a imprensa na Casa Civil, Vice-Governadoria, Secretaria de Habitação e na Secretaria de Turismo do DF. Fez consultoria para vários partidos, entidades sindicais e políticos da Câmara Legislativa e do Congresso Nacional. Assina a coluna Janela Indiscreta do Metrópoles e cobre os bastidores do poder em Brasília.

Últimas notícias