Os bastidores das notícias, e os principais personagens, que movimentam a política do Distrito Federal

Fraga espera reverter condenação para integrar cúpula de Bolsonaro

Juiz sentenciou congressista a 4 anos no regime semiaberto, mas aliado do presidente se diz inocente e garante: "Não vou constrangê-lo"

atualizado 08/01/2019 11:23

Igo Estrela/Metrópoles

Com o fim do recesso forense na segunda-feira (7/1), o deputado federal Alberto Fraga (DEM) disse que espera recorrer, o mais rapidamente possível, da condenação que sofreu, em setembro de 2018, e reverter a decisão para poder integrar o time do presidente Jair Bolsonaro (PSL). Uma das condições impostas pelo titular do Palácio do Planalto é que possíveis integrantes da Esplanada dos Ministérios não tenham ficha ””””””””””””””””””””””””””””””suja na Justiça.

Em setembro de 2018, Fraga foi sentenciado, em primeira instância, a 4 anos, 2 meses e 20 dias de prisão em regime semiaberto e com o direito de recorrer em liberdade. Ele é réu por suposta cobrança de propina enquanto ocupou a Secretaria de Transportes do DF na gestão de José Roberto Arruda (PR).

“O presidente já falou que me quer perto dele. Não vou constrangê-lo a ponto de forçar minha indicação. O que tenho a fazer é esperar que a Justiça aceite meu recurso e faça um novo julgamento, no qual eu sei que serei inocentado”, disse à coluna.

Em outubro do ano passado, logo após Bolsonaro ter sido eleito ao Planalto, o presidente aparece numa gravação em que afirmava o interesse de ter Fraga na articulação parlamentar do governo. Contudo, após a má repercussão da notícia, o presidente recuou e reforçou a determinação de nomear apenas auxiliares com a ficha limpa.

Últimas notícias