*
 
 

Em Brasília, os apoiadores de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) realizam neste domingo (8/7) um ato para exigir a soltura do ex-presidente, preso em Curitiba (PR) desde abril. Os militantes se reuniram em frente à Central Única dos Trabalhadores (CUT) e seguiram para o Supremo Tribunal Federal (STF), onde farão vigília até que, segundo os organizadores do evento, o líder petista deixe a carceragem na Polícia Federal.

Ao marcar presença no movimento, a presidente do PT-DF, deputada federal Érika Kokay, reforçou que a prisão de Lula seria ilegal e criticou a postura do de Sérgio Moro. O juiz contestou liminar concedida em benefício do petista. A decisão foi proferida pelo desembargador Rogério Favreto, magistrado de plantão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4).

“Quem deveria estar preso por descumprir decisão judicial é o juiz Sérgio Moro”, disse em apoio à mesma sugestão dada pelo deputado distrital Chico Vigilante, seu colega de partido.

Pelas redes sociais, a parlamentar registrou o início da carreata em direção à corte máxima do Judiciário.

Veja o post:



 


Erika KokaySTFcutVigíliaprisão de Lula