Coronavírus: Procon-DF notifica 500 farmácias por preço abusivo

De acordo com o órgão, há outras 767 denúncias em apuração por sobrepreço de álcool em gel, máscaras e luvas

Divulgação

atualizado 02/04/2020 11:39

O Instituto de Defesa do Consumidor (Procon-DF) informou, nessa terça-feira (31/03), que já notificou pelo menos 500 farmácias e drogarias do Distrito Federal por superfaturamento de produtos usados na prevenção do novo coronavírus, como álcool em gel, luvas e máscaras.

Desde o início da crise causada pela pandemia da Covid-19, o órgão de fiscalização já recebeu 767 denúncias de comportamentos abusivos de empresas locais.

“Este trabalho foi importante para a apreensão de mais de mil produtos de origem e qualidade duvidosa. Para os próximos dias, serão verificadas reclamações feitas por todo o DF sobre preços abusivos de alimentos praticados por alguns supermercados”, disse Larissa Galvão, presidente da Associação dos Fiscais do Procon-DF.*.

Fiscalização diária

Segundo Larissa, neste período de quarentena, 21 fiscais têm agido diariamente em todo o DF para combater os excessos cometidos por algumas lojas.

Caso preços e práticas abusivos sejam comprovadas, o Procon-DF vai abrir processo administrativo. A loja poderá ser alvo de multa, interdição e, até, cassação de registro. Sanções previstas no Código de Defesa do Consumidor.

O valor da multa no bolso do estabelecimento varia conforme vários fatores. Como, por exemplo, a vantagem auferida com o preço abusivo, a reincidência na prática ilegal e a própria condição econômica do negócio.

Últimas notícias