Coronavírus: afastamentos de servidores na Saúde do DF sobem 15%

De acordo com o GDF, até a noite de terça-feira (24/03), pelo menos 781 funcionários ingressaram com atestados médicos em razão da pandemia

Funcionários e pacientes do Hospital da Asa Norte se protegem do coronavirus com mascaras respiratóriasMyke Sena/ Especial Metrópoles

atualizado 25/03/2020 8:34

O temor da contaminação pelo novo coronavírus fez aumentar o número de pedidos de afastamentos médicos de servidores da Secretaria de Saúde do Distrito Federal.

Até a noite de terça-feira (24/03), pelo menos 781 integrantes da pasta haviam ingressado com pedido de licença do exercício da profissão por conta da pandemia de Covid-19. O quadro representa uma média 15% maior do que as licenças normalmente solicitadas ao Executivo local em períodos considerados comuns.

O número também vem à tona durante campanha do poder público distrital no sentido de fazer força-tarefa para atendimento de pacientes suspeitos e confirmados da doença.

Recentemente, a Secretaria de Saúde do Distrito Federal cancelou férias, abonos e licenças dos servidores. A medida foi publicada em circular assinada pelo secretário Francisco Araújo Júnior na última sexta-feira (20/03). Tudo em nome do combate ao novo coronavírus e com base na situação de emergência no âmbito da saúde pública no Distrito Federal — decretada no dia 11/03 — em razão da pandemia de Covid-19.

Do total de 781 servidores que ingressaram com licença-médica, 107 são médicos do quadro da Secretaria de Saúde. Outros 125 são enfermeiros e atuam em unidades públicas da pasta.

A região que concentra o maior número de servidores afastados é a Sudoeste, com 169 atestados médicos protocolados. A superintendência engloba as duas maiores cidades do Distrito Federal: Samambaia e Taguatinga, além do Recanto das Emas.

Presidente do Sindicato dos Médicos do Distrito Federal, o ginecologista Gutemberg Fialho distribuiu um vídeo nas redes sociais alertando profissionais com sintomas da Covid-19 e aqueles que integram o grupo de risco. Estão mais vulneráveis à nova doença as pessoas maiores de 60 anos, diagnosticadas com doenças crônicas, gestantes e indivíduos com problemas na imunidade corporal.

“Neste momento de combate à pandemia, o médico que apresentar sinais de gripe deve imediatamente informar à chefia e entregar atestado médico para afastamento do trabalho, conforme orientação do Ministério da Saúde. O prazo desse afastamento será de 14 dias”, assinala Fialho.

O sindicalista lembra que os médicos com doenças crônicas, imunodepressão, com idade a partir de 60 anos e as gestantes são mais suscetíveis a adquirir os sintomas graves da doença e, por isso, precisam se proteger. “Eles devem apresentar relatório de seu médico assistente e atestado de incapacidade do trabalho pelo prazo de 30 dias para proteção das suas vidas e solicitar o teletrabalho”, orienta.

De acordo com a Secretaria de Economia, os dados sobre afastamentos de servidores estão em constante processamento. “A perícia médica para homologar afastamentos está suspensa temporariamente devido à pandemia da Covid-19. Os servidores devem encaminhar os atestados pelo Sistema Eletrônico de Informações (SEI)”, frisa a pasta.

Veja o vídeo de Gutemberg Fialho: 


Casos confirmados

Até a noite dessa terça-feira (24/03), conforme atualização do Ministério da Saúde sobre a situação do coronavírus no Brasil, o país havia registrado 2.201 casos confirmados e 46 mortes. Na segunda (23/03), o número de pacientes com Covid-19 era 1.891 e o de óbitos, 32.

Já um balanço divulgado pela Secretaria de Saúde do Distrito Federal, também na noite de terça, apontou que há 177 casos do novo coronavírus no DF e 3.660 situações suspeitas.

Homenagens à categoria

Enquanto a população precisa se recolher para conter o avanço do coronavírus, um batalhão de profissionais de saúde está na linha de frente da guerra contra a doença. Por vocação, enfrentam a pandemia e salvam vidas. Considerados heróis, eles vêm recebendo homenagens pelo país. Na última sexta-feira (20/03), foram aplaudidos por milhares de brasileiros nas redes sociais. “Obrigado”, gritaram das janelas de casas e apartamentos.

Diante da crise por conta da Covid-19, o GDF assumiu o compromisso de reforçar o quadro de pessoal e estoques. E liberou R$ 32.418.216 de crédito suplementar na sexta-feira (20/03). O dinheiro será utilizado na compra de equipamentos para as forças de segurança e a nomeação de servidores.

Últimas notícias