Ainda com hematomas, Arruda aparece pela 1ª vez em campanha após queda

Ex-governador teve traumatismo crânio-encefálico e precisou ficar em observação na UTI depois de queda de bicicleta.

Ana Luiza Vinhote/MetrópolesAna Luiza Vinhote/Metrópoles

atualizado 13/09/2018 18:38

Ainda com as marcas da queda de bicicleta que o levou para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI), José Roberto Arruda apareceu, nesta quinta-feira (13/9),  em um compromisso de campanha do candidato ao Palácio do Buriti Alberto Fraga (DEM), no Guará. Este é o primeiro ato público do ex-governador, uma semana após deixar o hospital.

Arruda recebeu alta, em 6 de setembro, de uma unidade hospitalar da Asa Sul, onde ficou internado por três dias. Ele sofreu um acidente, em Águas Claras, após perder o controle da bicicleta quando voltava para casa. O político teve traumatismo crânio-encefálico e precisou ficar em observação na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Os médicos avaliaram que a recuperação foi rápida e o ex-governador respondeu bem ao tratamento. Apesar de permanecer com edema na região craniana, não existia mais riscos de hemorragias, o que possibilitou a alta hospitalar.

O ex-gestor teria de manter repouso em casa e evitar os atos políticos, mas foi flagrado pela equipe do Metrópoles, nesta quinta, ao lado de Fraga. Ele acompanhava a mulher, Flávia Arruda (PR), que disputa as eleições para deputada federal.

Ana Luiza Vinhote/Metrópoles
Arruda participou de evento de campanha de Fraga

Ao Metrópoles, Flávia disse que o marido teve liberação médica para participar dos eventos. “O hematoma é um processo natural, ainda mais após o acidente grave que ele sofreu. Ele está fora de risco, às vezes ainda reclama de dor no ombro, mas está com uma grande disposição. Quem conhece sabe que o Arruda não não aguenta ficar em casa, ainda mais durante a campanha”, disse a candidata.

SOBRE OS AUTORES
Ricardo Taffner

Jornalista formado pelo Centro Universitário de Brasília (UniCeub), com pós-graduação em análise política e relações institucionais pela Universidade de Brasília (UnB). Trabalhou como repórter no Correio Braziliense e no Congresso em Foco. De 2015 a 2017, foi secretário-adjunto de Comunicação do GDF. Também chefiou as assessorias de comunicação da Casa Civil local e da Seccional do DF da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-DF). Em 2012, ganhou o prêmio Embratel pelas reportagens que colocaram fim ao 14º e 15º salários na Câmara Legislativa.

Caio Barbieri

Cursou jornalismo no Centro Universitário de Brasília (UniCeub). Passou pelas redações do Correio Braziliense, Agência Brasil, Rádio Nacional e foi editor-adjunto da Tribuna do Brasil. Ocupou a assessoria especial no Ministério da Transparência e foi secretário-adjunto de Comunicação do GDF. Chefiou o relacionamento com a imprensa na Casa Civil, Vice-Governadoria, Secretaria de Habitação e na Secretaria de Turismo do DF. Fez consultoria para vários partidos, entidades sindicais e políticos da Câmara Legislativa e do Congresso Nacional. Assina a coluna Janela Indiscreta do Metrópoles e cobre os bastidores do poder em Brasília.

Últimas notícias