*
 
 

Visando transformar o mundo em um lugar ecologicamente correto, várias marcas estão entrando de cabeça na onda da sustentabilidade. Recentemente, foi a vez de John Galliano declarar à imprensa que não irá mais usar pele nas peças da Maison Margiela, grife comandada por ele desde 2014.

O estilista segue os passos de designers famosos. Marcas de luxo, como Donna Karan, Versace, Michael Kors e Gucci foram outras que aboliram o material de suas coleções. A tendência também tem atingido o varejo. A Net-a-Porter e a Selfridges são dois e-commerces conhecidos pelas fashionistas que decidiram não vender peças feitas de pele animal.

Embora o movimento ainda seja tímido, é muito bom saber que existem marcas no mercado preocupadas com o meio ambiente. Stella McCartney tornou a moda ética em um pilar de seu trabalho muito antes de todo o bate-papo sobre sustentabilidade. A estilista sempre foi honesta em relação ao imenso mal causado pela moda ao planeta, sendo a segunda indústria mais poluidora, depois da petrolífera.

No Brasil, a movimentação acerca do assunto também merece destaque. A Osklen, por exemplo, demonstra sua preocupação com a preservação da natureza desde a fundação da marca, em 1989. Além dela, a queridinha dos famosos, Reserva, também tem um viés sustentável e programas de cunho socioambiental. Um deles consiste em doar para a EcoModa Mangueira peças com defeito de fabricação que seriam incineradas. A instituição reutiliza o material para criar novos itens.

Sabendo dessa nova realidade, na qual há uma preocupação com as reservas naturais e a devastação ambiental, além da conscientização sobre os direitos humanos, resolvi buscar algumas marcas que seguem essa pegada eco-friendly e merecem o nosso reconhecimento. Alguns fashion designers são sustentáveis desde o início de suas carreiras. Outros entraram recentemente na onda e lançaram coleções cápsulas para proteger crianças, adolescentes e o meio ambiente.

Quer saber mais? Vem comigo conferi

 

 

Marcas internacionais

1. Phillip Ayler
Marca de jaquetas queridinha de angels como Lily Donaldson e da cantora Wizkid, Phillip Ayler trabalha com material reciclado. O tecido vintage utilizado por Phillip é o mesmo usado anteriormente por grifes de luxo, como Chanel e Balenciaga.

O estilo urbano traz a pegada hi-lo e mistura street style com looks noturnos. O resultado é uma moda contemporânea, com peças construídas à mão, por meio da excelente curadoria do estilista. Bombers maravilhosos, únicos e reversíveis misturam a bomber jacket com o tailleur da Chanel. A coleção conta também com belíssimos vestidos em paetê.

Divulgação Divulgação Divulgação Divulgação Divulgação Divulgação

 

2. Christy Dawn
Christy Dawn Petersen usou 20 mil dólares de suas economias para lançar uma grife com peças limitadas, feitas apenas com material residual de grandes marcas de luxo. A ideia deu certo e a modelo empreendedora agora faz sucesso com seu próprio negócio.

Além da proposta sustentável, as peças com silhuetas femininas, clássicas, elegantes e com um toque vintage têm uma produção totalmente ética. As costureiras que produzem os itens recebem salários competitivos e benefícios para a saúde, além de interagirem diretamente com a proprietária na fábrica, localizada em Los Angeles.

Divulgação Divulgação Divulgação Divulgação Divulgação

 

3. Eileen Fisher
A grife de luxo Eileen Fisher é protagonista no movimento eco-friendly. Conhecida pelos looks minimalistas e elegantes, a estilista é especialista em trazer harmonia para qualquer guarda-roupa, além de ser defensora do meio ambiente há anos.

A designer também desenvolve trabalhos em prol dos direitos humanos e da proteção de crianças e adolescentes, desde 1997. Na empresa, a prática de negócios com responsabilidade e o apoio às mulheres também fazem parte do branding consciente da marca e se fazem presentes em todas as etapas do trabalho.

Divulgação Divulgação Divulgação Divulgação

 

4. G-Star Raw
Desde a parceria em 2014 com o músico americano Pharrell Williams, a marca G-Star Raw está cada vez mais envolvida com a causa ecológica. Peças em denim são o carro-chefe da grife, que opta pela responsabilidade social e ambiental em sua produção. Toda a manufatura ocorre de forma consciente, visando respeitar a humanidade e os direitos dos animais.

A proposta revolucionária da empresa consiste em utilizar 100% de algodão sustentável e outros materiais reciclados nas confecções até 2020.

 

 

Divulgação Divulgação Divulgação Divulgação

 

5. Levi Strauss
Outra grande marca que está investindo em preservar o planeta é a Levi’s. A responsável por inventar o jeans trabalha com uma lista restrita de produtos, investe em renovação de energia e fabricação de peças com redução de água. Assim como a G-Star Raw, a brand segue o desafio de usar 100% de algodão sustentável e eliminar o descarte de materiais perigosos para o meio ambiente até 2020.

Divulgação Divulgação Divulgação Divulgação Divulgação

 

6. St. Roche
Fundada em 2014, a St. Roche é uma marca feminina de design e fabricação responsável, além de ser uma das favoritas de Kate Moss. Alguns dos diferenciais da grife comandada por Sue Stemp são peças contemporâneas com detalhamento artesanal, técnicas tradicionais de bordados e design têxtil original.

Acreditando que as roupas devem ser feitas com consciência, a marca inglesa trabalha com parceiros de fabricação cuidadosamente selecionados na Índia e no Peru – todos eles comprometidos com práticas trabalhistas honestas e éticas.

Eles escolhem a opção ecologicamente correta sempre quando possível, incorporando tecidos de fibra de algodão cultivado localmente e malhas produzidas de forma sustentável. “Tudo tem que ter um equilíbrio, mas estamos trabalhando para melhorar nossos esforços o tempo todo”, declarou Sue em uma entrevista.

Divulgação Divulgação

Divulgação Divulgação

Divulgação

 

7. Bassike
A filosofia da Bassike centra-se no design e na construção de ponta compromissados com a manufatura ecologicamente correta. A marca australiana lançou uma coleção original de jerseys de algodão orgânico em 2006 e, desde então, a iniciativa sustentável tem norteado o destino da grife.

As peças luxuosas, modernas e estruturadas chamam atenção pelo ar contemporâneo, sem falar nas silhuetas das camisas sociais, que funcionam em qualquer ocasião.

Além da preocupação ambiental, as criadoras da Bassike, Deborah Sams e Mary Lou Ryan, são apoiadoras da Fundação Mirabel. A instituição de caridade sem fins lucrativos fornece apoio vital a um número crescente de crianças órfãs ou abandonadas por pais usuários de drogas.
Divulgação
Divulgação Divulgação
Divulgação Divulgação

7. Aiayu
Além de ser 100% sustentável, a fibra de lhama é tão durável quanto macia, hipoalergênica e, na maioria das vezes, autolimpante – significando menos necessidade de lavagem. Sabendo disso, a grife dinamarquesa Aiayu utiliza-se do material importado da Bolívia para criar belas peças com uma pegada minimalista.
A marca também tem uma preocupação social com seus fornecedores, criando condições seguras de trabalho e padrões de vida mais elevados para os tricoteiros bolivianos e fazendeiros cuidadores de lhamas. A Aiayu também construiu uma usina de tratamento de água a partir do zero, para garantir que o líquido residual da pós-produção esteja livre de substâncias químicas nocivas.
Divulgação Divulgação Divulgação
Divulgação
Divulgação

8. Vitamin A
Criada na Califórnia, a Vitamin A é uma marca de beachwear com um toque moderno. Para quem gosta de biquínis estilosos e vanguardistas, a grife é a pedida certa. A inovação está presente também no material utilizado para fazer as peças.

A designer e fundadora Amahlia Stevens cresceu com o amor pela natureza em seu DNA, fazendo caminhadas, snowboarding e natação no sul da Califórnia. No entanto, quando ela começou a pesquisar opções para desenvolver sua marca, foi informada pelos fornecedores de tecidos que não havia mercado para trajes de banho feitos de fibras recicladas – então Amahlia decidiu projetar por conta própria.

Assim nasceu o EcoLux, o primeiro tecido de mergulho premium feito de nylon reciclado, que combina sustentabilidade e tecnologia para se encaixar como uma segunda pele sexy e atrevidamente contemporânea.

Divulgação Divulgação Divulgação Divulgação Divulgação

 

9. Freitag
Há 24 anos, Markus Freitag, um estudante de escola de arte na cidade suíça de Zurique, precisava de uma bolsa à prova d’água para carregar suas planilhas de papel. Ele morava perto de uma rodovia onde lonas de caminhão usadas são encontradas com facilidade. O material acabou tornando-se a resposta para suas necessidades, e ele e seu irmão Daniel criaram a marca de bolsas, acessórios e roupas Freitag.

A base sustentável da grife suíça não para por aí. Além das lonas de caminhão, câmaras de bicicleta descartadas e cintos de segurança de automóveis são elementos usados para criar bolsas recicladas – cada item com um design único.

Com uma produção anual de 300.000 produtos e a reciclagem de 300 toneladas de lona por ano, a Freitag é uma das líderes no campo da moda sustentável.

Divulgação Divulgação Divulgação DivulgaçãoDivulgação

 

Outras grifes internacionais que aderiram à onda da moda sustentável incluem Edun, Tome, Michael Stars, The Lost Explorer, entre outras. Conheça abaixo algumas marcas nacionais que também entraram na tendência sem perder o estilo!

Marcas Nacionais

1. Comas
Preocupado com o impacto da indústria têxtil no mundo, o Brasil também tem uma representação ativa no segmento da sustentabilidade. A abordagem escolhida pela Comas, marca de roupa paulista, foi reaproveitar o material descartado pela fabricação tradicional.

Conhecido como Upcycling, o processo transforma materiais e produtos descartados ou deixados à margem do mercado em novos itens, agregando valor e sentido a eles. A proposta inovadora tem como principal matéria-prima camisas masculinas sem uso, que viram vestidos, saias, calças e blusas femininas sob o olhar atento da estilista Agustina Comas.

Divulgação Divulgação Divulgação Divulgação

 

2. Drew
A marca criada pelo brasiliense Sávio Drew, 22 anos, também tem peças produzidas com tecidos que seriam descartados. O estilista garimpa, em uma fábrica na cidade de São Paulo, pedaços de pano manchados ou estampados sem serventia para a indústria convencional – os quais, em suas mãos, viram camisas exclusivas.

Cortes assimétricos e uma pegada minimalista são as principais inspirações do criador, que valoriza uma silhueta ampla e confortável.

Divulgação Divulgação Divulgação Divulgação

 

3. Joya da Terra
A marca de calçados Joya da Terra tem como missão criar produtos ecológicos, sem agrotóxicos e desperdícios, reduzindo a necessidade de consumo de itens e materiais à base de petróleo e diminuindo as emissões de carbono no meio ambiente.

Cada peça é única, 100% feita à mão. A palmilha natural de fibra de coco elimina a necessidade de usar produtos de preenchimento sintéticos, como a borracha ou a espuma, substituindo-os por um preparado orgânico, oferecendo conforto natural, eficiente e sustentável.

Divulgação Divulgação Divulgação Divulgação

 

4. Crua
A marca de acessórios Crua tem como conceito reinventar materiais. Através de um olhar atento e sensível, a grife emprega peças reutilizadas ou inusitadas com novos elementos para a construção de produtos de moda e design.

A pegada geométrica e surrealista está presente nos colares, pulseiras, brincos e anéis da Crua, desenvolvidos predominantemente com resíduos de madeira de peroba, canela, louro e algodão reciclado. Os acessórios são produzidos artesanalmente um a um, portanto pode haver pequenas variações de tamanho, cor e tonalidade.

Divulgação Divulgação Divulgação Divulgação Divulgação

 

Cuidar do meio ambiente está na moda. Desde marcas de luxo a novos estilistas, há cada vez mais investimento em peças vintage, materiais sustentáveis e outras formas de reciclagem. Claro que o fato de grandes celebridades aderirem à ideia ajudou a consciência ambiental a ganhar força e se difundir.

Confira na galeria quem são as queridinhas responsáveis por fazer da moda sustentável uma tendência superatual:

 

Para mais novidades sobre o mundo da moda, visite meu Instagram.



Sustentabilidademeio ambienteecologiaEco-FriendlyMarcas SustentáveisEco-FashionIndústria da Moda
 


COMENTE

Ler mais do blog