Sobreposição e alfaiataria atual marcam a 46ª Casa de Criadores

Entre os destaques do evento, que foi encerrado nesse sábado com vibe performática, também estão a diversidade, o jeans e o monocromático

Marcelo Soubhia/FotositeMarcelo Soubhia/Fotosite

atualizado 02/12/2019 11:17

A 46ª edição da Casa de Criadores foi encerrada nesse sábado (30/11/2019). Realizada desde 1997, a iniciativa é considerada a principal plataforma de talentos da moda autoral brasileira. A vibe performática contagiou o ambiente e várias marcas apostaram no exagero, além de coreografias de dança e apresentações musicais na passarela.

Ao longo da semana, algumas tendências marcaram as apresentações. Entre elas, a alfaiataria descolada, a sobreposição, o all jeans e o monocromático. A diversidade e as composições genderless também chamaram atenção, o que era esperado para um evento conhecido por ser mais conceitual e menos comercial.

Vem comigo!

Agência Fotosite

 

Considerada a principal plataforma de apresentação de talentos da moda autoral brasileira, a Casa de Criadores acontece em São Paulo. A semana de moda foi palco para cerca de 30 coleções desenvolvidas por etiquetas e designers do Brasil inteiro.

 

Confira os destaques da 46ª Casa de Criadores:

Alfaiataria descolada

Em geral, a alfaiataria tem se reinventado na moda. Foi-se o tempo em que se tratava de um estilo extremamente tradicional e sem extravagâncias. Atualmente, as peças passam um ar despojado.

O blazer, por exemplo, pode ser um item versátil e até mais casual. Na Casa de Criadores, Mateus Cardoso, Felipe Fanaia e Rocio Canvas comprovaram que a alfaiataria descolada está em alta.

Marcelo Soubhia/Fotosite
A alfaiataria atual passa um ar de descontração. Aqui, o look é de Rocio Canvas

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
Rocio Canvas apostou em modelagem oversized e tom sobre tom

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
Alfaiataria mega despojada, de David Lee

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
Felipe Fanaia investiu em uma espécie de camisa social que também é vestido

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
Brilho e sapato exagerado na alfaiataria de Rober Dognani

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
Short e blazer com adereço por cima, na passarela do estilista Mateus Cardoso

 

Sobreposição

Tecido sobre tecido. A sobreposição deixa qualquer visual mais elaborado. Ela pode ser feita com jaquetas, vestidos, macacões, coletes e até capas. As etiquetas Estamparia Social, Felipe Fanaia, Rocio Canvas, Jorge Feitosa e Mateus Cardoso servem como inspiração.

Marcelo Soubhia/Fotosite
A ideia é criar camadas de roupas, como fez o estilista Mateus Cardoso

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
Aqui, a sobreposição é cool. Passarela da Amni Soul Eco + Canatiba, por Heloísa Faria

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
Sobreposição intensa de Mateus Cardoso

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
Rocio Canvas com caimento acolchoado

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
Mix de estampas no desfile de Rocio Canvas

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
Jacquard e camisa social na coleção de Felipe Fanaia

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
Capas desenvolvidas por Jorge Feitosa

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
Toque vintage na sobreposição da Estamparia Social

 

All jeans

Os visuais all jeans marcaram o início dos anos 2000. De lá para cá, ficaram eternizados como símbolo de estilo. Vale misturar diferentes lavagens ou mergulhar em uma só. Amni Soul Eco + Canatiba, David Lee, Martins, Estamparia Social e Thear levaram composições interessantes para a 46ª Casa de Criadores.

Marcelo Soubhia/Fotosite
Jeans reinventado na passarela da Thear, etiqueta levada pelo Projeto Lab

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
A Estamparia Social também incrementou as propostas em jeans

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
A passarela da Amni Soul Eco + Canatiba, por Heloísa Faria, foi recheada de jeans

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
All jeans com brilho, de David Lee

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
As peças únicas são versáteis, como esta da Estamparia Social

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
David Lee apostou em lavagens variadas de jeans

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
De jeans, Rita Cadillac agitou a passarela da Estamparia Social

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
Jeans comfy da Estamparia Social

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
Jeans retrô da label Martins

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
Os macacões são ótimas opções para quem curte o estilo, como neste visual da Amni Soul Eco + Canatiba, por Heloísa Faria

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
Remendos desconstruídos da Thear – Projeto Lab

 

Monocromático

Usar apenas uma cor pode ser uma tática infalível para criar um bom look sem tanto esforço. Versáteis, as combinações unicolor são sucesso. Passam leveza, mas sem perder a elegância.

Na Casa de Criadores, labels como Alex Kazuo, David Lee, Jal Vieira, Jorge Feitosa e Rodrigo Evangelista investiram em outfits monocromáticos. Entre os pigmentos escolhidos, estão vermelho, preto, cinza, branco, azul e rosa.

Marcelo Soubhia/Fotosite
Vermelho no look por inteiro da Cho.Project

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
Pink da cabeça aos pés. Look da Koia

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
Visual harmônico de Jorge Feitosa

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
O preto dominou a catwalk de Alex Kazuo

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
Martins também aderiu ao all black

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
Martins com transparência

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
Rodrigo Evangelista – vermelho até nas sobrancelhas

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
Reptilia na white vibe

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
Um tom de cinza, by Reptilia

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
Tudo rosa no visual performático, by Rober Dognani

 

46ª Casa de Criadores
Leves variações de tons na composição de Igor Danona

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
Jal Vieira aderiu ao monocromático com intensidade

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
Jal Vieira – composição em branco

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
Estúdio Traça – tudo azul!

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
Branco até nas luvas do desfile da Not Equal

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
Cho.Project também escolheu o branco

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
All black é um clássico de elegância!

 

Genderless

De um tempo para cá, o mercado da moda vem se adequando aos pedidos por menos estereótipos. Um dos que estão sendo quebrados é o de gênero. Na 46ª Casa de Criadores, várias labels apostaram em criações unissex. Entre elas, Bold Strap, Not Equal, Bispo dos Anjos, Rocio Canvas, Alex Kazuo e Felipe Fanaia.

Marcelo Soubhia/Fotosite
Pegada vitoriana e delicada levada por Bispo dos Anjos

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
A Bold Strap é adepta ao genderless

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
O look desenvolvido por Rocio Canvas se encaixa em qualquer gênero

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
Lingerie desconstruída na catwalk da Bold Strap

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
Mangas bufantes e camadas no outfit by Felipe Fanaia

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
O estilo da passarela de Bispo dos Anjos cai bem em diferentes gêneros e situações

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
Fluidez no outfit sóbrio de Alex Kazuo

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
Not Equal com leve assimetria

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
O visual mistura sensualidade e delicadeza

 

Diversidade de corpos

A Casa de Criadores não é um espaço para a propagação de padrões irreais de beleza. A plataforma serve como exemplo para a indústria como um todo.

Marcas como Bold Strap, Diegogama e Rainha Nagô levaram castings variados em relação à miscigenação brasileira e sobretudo à diversidade de corpos. A moda é para todos e todas!

Marcelo Soubhia/Fotosite
Vermelho e branco protagonizaram a coleção da Rainha Nagô, marca levada pelo Projeto Lab

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
Elementos dourados na passarela da Rainha Nagô – Projeto Lab

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
Diegogama com mix interessante de nuances

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
Diegogama investiu em maxi acessórios de cabeça

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
Amni Soul Eco + Canatiba, por Heloísa Faria, com cintura alta e top faixa

 

Marcelo Soubhia/Fotosite
A Bold Strap investiu em composições inclusivas

 

Balanço

A 46ª Casa de Criadores foi encerrada nesse fim de semana. O último dia começou com um convite ao público à reflexão com uma performance de Drew Persí e Rafael Bolacha, pelo Dia Mundial de Combate à Aids.

O Projeto Lab levou desfiles separados das labels Boutique Venenosa, Rainha Nagô, Thear e Priscilla Silva. As passarelas da marca Vivão e o coletivo Estileras Fudidamente Insertas também deram o que falar no encerramento. Ao longo da semana, também se apresentaram Rober Dognani, Fernando Cozendey, Diego Fávaro, Felipe Fanaia, Rafael Caetano, Igor Dadona e Reptilia, entre outros.

Um dos highlights da semana foi o desfile Sou de Algodão, realizado nessa sexta-feira (29/11/2019). O evento é uma iniciativa organizada pela Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa), e foi criado para incentivar o uso da fibra natural. Por meio de um concurso, o projeto escolhe os melhores trabalhos e os leva para a catwalk da Casa de Criadores.

Vale destacar ainda o engajamento social levado para a semana de moda. Na passarela da Estamparia Social, por exemplo, houve uma manifestação contra a política de encarceramento no país e o racismo que está associado ao sistema.

A Coetânees abordou a questão da violência policial. A Vicente Perrotta levantou a realidade das pessoas trans no Brasil, que lidera o ranking mundial de assassinatos de transexuais, de acordo com dados atuais da ONG Transgender Europe (TGEU).

 

Colaborou Rebeca Ligabue

SOBRE O AUTOR
Ilca Maria Estevão

Bacharel em psicologia pela Universidade Georgetown, em Washington D.C. (EUA). É apaixonada por moda e acompanha toda movimentação no universo fashion.

Últimas notícias