Selma Blair quer lançar linha de roupas para pessoas com deficiência

A atriz americana foi diagnosticada com esclerose múltipla em agosto de 2018

David Crotty/Patrick McMullan via Getty ImagesDavid Crotty/Patrick McMullan via Getty Images

atualizado 13/03/2019 11:00

A atriz norte-americana Selma Blair tem vivido com os sintomas da esclerose múltipla, doença com a qual foi diagnosticada em 2018. Por causa da mobilidade afetada, ela tem circulado com uma bengala e confirmou por meio das redes sociais que tem dificuldade em tarefas simples do dia a dia. Toda a situação levou a artista a refletir sobre uma questão: a falta de roupas e peças de design para pessoas com deficiência.

Conhecida por filmes como Legalmente Loira (2001) e Segundas Intenções (1999), Selma disse à revista Vanity Fair que pretende usar sua influência para criar uma linha de roupas que atenda as necessidades de pessoas com deficiência. Para isso, quer aproveitar suas conexões com a indústria fashion.

Vem comigo saber mais!

Selma vê a moda como uma questão de identidade. Em 2004, Karl Lagerfeld desenhou os dois vestidos de seu casamento com o músico Ahmet Zappa, que durou dois anos. Fotografada pelo próprio kaiser, ela estrelou uma campanha da Chanel em 2005.

Próxima de marcas como Marc Jacobs e Stella McCartney, a atriz chegou a desfilar em um show de Christian Siriano em fevereiro de 2018. Siriano é conhecido por criar looks para red carpets usados por celebridades que são recusadas por outros estilistas. Entre elas, Danielle Brooks, Laverne Cox e Leslie Jones.

“Eu gostaria de colaborar com alguém como Christian Siriano em uma linha para todos – não apenas pessoas que precisam de roupas adaptadas, mas todos que também querem conforto. Elas ainda podem ser chiques”, comentou na entrevista.

John Shearer/Getty Images
No fim de fevereiro, a atriz surgiu lindíssima na festa pós-Oscar da revista Vanity Fair

 

BG015/Bauer-Griffin/GC Images via Getty Images
A atriz tem usado uma bengala para se locomover, pois a esclerose múltipla afetou sua mobilidade

 

Peter White/Getty Images
Em fevereiro de 2018, ela desfilou para Christian Siriano, no New York Fashion Week

 

Karl Lagerfeld/Chanel
Campanha da Chanel com Selma Blair, clicada em 2005 por Karl Lagerfeld

 

A esclerose múltipla faz o sistema imunológico atacar as células do sistema nervoso central, afetando a comunicação entre o cérebro e o corpo. A doença é mais comum em mulheres e costuma afetar pessoas entre 18 e 55 anos de idade. Apesar de não ter cura, o tratamento pode retardar o progresso da enfermidade e ajuda a combater os sintomas.

Aos 46 anos, Selma acredita que sofre com a doença há pelo menos 15 anos. Antes do diagnóstico, ela abusava das bebidas alcoólicas para aliviar as fortes dores que sentia. A esclerose afetou seus movimentos e agora ela convive com o gaguismo na voz. Além disso, tarefas simples, como deixar o filho na escola, a deixavam exausta.

Reprodução/Instagram/@selmablair
Selma Blair com o filho Arthur, nascido em 2010

 

Reprodução/Instagram/@selmablair
Foto compartilhada pela atriz no Instagram

 

Em outubro de 2018, a atriz revelou a notícia aos fãs por meio do Instagram. No post, falou sobre a limitação para usar os looks da série que estava gravando e agradeceu à figurinista Allisa Swanson por ajudá-la a se vestir.

“Pela graça de Deus e pelo poder e compreensão dos produtores da Netflix, tenho um emprego. Um trabalho maravilhoso. Eu estou desabilitada. Caio, às vezes. Deixo cair coisas. Minha memória é nebulosa. E meu lado esquerdo está pedindo direções de um GPS quebrado. Mas nós estamos fazendo isso”, escreveu.

View this post on Instagram

I was in this wardrobe fitting two days ago. And I am in the deepest gratitude. So profound, it is, I have decided to share. The brilliant costumer #Allisaswanson not only designs the pieces #harperglass will wear on this new #Netflix show , but she carefully gets my legs in my pants, pulls my tops over my head, buttons my coats and offers her shoulder to steady myself. I have #multiplesclerosis . I am in an exacerbation. By the grace of the lord, and will power and the understanding producers at Netflix , I have a job. A wonderful job. I am disabled. I fall sometimes. I drop things. My memory is foggy. And my left side is asking for directions from a broken gps. But we are doing it . And I laugh and I don’t know exactly what I will do precisely but I will do my best. Since my diagnosis at ten thirty pm on The night of August 16, I have had love and support from my friends , especially @jaime_king @sarahmgellar @realfreddieprinze @tarasubkoff . My producers #noreenhalpern who assured me that everyone has something. #chrisregina #aaronmartin and every crew member… thank you. I am in the thick of it but I hope to give some hope to others. And even to myself. You can’t get help unless you ask. It can be overwhelming in the beginning. You want to sleep. You always want to sleep. So I don’t have answers. You see, I want to sleep. But I am a forthcoming person and I want my life to be full somehow. I want to play with my son again. I want to walk down the street and ride my horse. I have MS and I am ok. But if you see me , dropping crap all over the street, feel free to help me pick it up. It takes a whole day for me alone. Thank you and may we all know good days amongst the challenges. And the biggest thanks to @elizberkley who forced me to see her brother #drjasonberkley who gave me this diagnosis after finding lesions on that mri. I have had symptoms for years but was never taken seriously until I fell down in front of him trying to sort out what I thought was a pinched nerve. I have probably had this incurable disease for 15 years at least. And I am relieved to at least know. And share. 🖤 my instagram family… you know who you are.

A post shared by Selma Blair (@selmablair) on

Desde que passou a falar sobre a esclerose, a artista tem lido relatos no Instagram. “Eu realmente sinto que pessoas com deficiência são invisíveis para muita gente. Por que elas estão desconfortáveis, ou não têm energia para se vestir, não querem ser vistas…”, disse à Vanity Fair.

Para Selma, a rede social pode ir muito além de um mecanismo narcisista. Por lá, ela incentiva os fãs a não se envergonharem.

“Conheci muitas pessoas no Instagram que disseram que sempre tiveram vergonha de suas bengalas. Você quer ser parte dos vivos, não uma pessoa constrangedora que todos desviam do caminho porque estão enojadas. Uma bengala pode ser um grande acessório fashion”, contou na entrevista.

Reprodução/Instagram/@selmablair
Selma acredita que muita gente trata as pessoas com deficiência como seres invisíveis

 

Reprodução/Instagram/@selmablair
Selma Blair prova que uma bengala não é motivo de vergonha

 

O feedback médico tem sido positivo para a atriz. Em entrevista ao programa Good Morning America, em fevereiro, ela contou que há até 90% de chances de seus movimentos voltarem ao normal em um ano.

Enquanto o plano de Selma não sai do papel, vale lembrar de outras iniciativas que já existem. A fast fashion britânica Asos criou uma linha de roupas para cadeirantes. Já a marca irlandesa Izzy Wheels cria aros coloridos para cadeiras de rodas. O objetivo da iniciativa é fazer o instrumento médico ser uma forma de autoexpressão.

Para outras dicas e novidades sobre o mundo da moda, não deixe de visitar o meu Instagram. Até a próxima!

Colaborou Hebert Madeira

SOBRE O AUTOR
Ilca Maria Estevão

Bacharel em psicologia pela Universidade Georgetown, em Washington D.C. (EUA). É apaixonada por moda e acompanha toda movimentação no universo fashion.

Últimas notícias