Ffora: conheça esta marca que faz acessórios para cadeiras de rodas

Lançada nos EUA nessa terça-feira (30/07/2019), a etiqueta da designer galesa Lucy Jones oferece bolsas, porta-copos e um encaixe fixador

Reprodução/FforaReprodução/Ffora

atualizado 02/08/2019 11:17

A indústria da moda cria novidades o tempo todo, mas, na maioria das vezes, não são peças funcionais para pessoas com deficiência. Felizmente, algumas mentes criativas estão tentando mudar esse cenário. Uma delas é a designer galesa Lucy Jones, que lançou nessa terça-feira (30/07/2019) a própria marca de acessórios para usuários de cadeiras de rodas, a Ffora.

Baseada nos Estados Unidos, a etiqueta oferece dois tamanhos da bolsa Essentials, um porta-copos e um sistema de encaixe fixador, que funciona em cadeiras de 21 marcas diferentes e 170 modelos. As novidades unem moda e funcionalidade.

Vem comigo saber mais!

 

Já em seu projeto de pesquisa de graduação na Parsons School of Design, em 2015, a estilista apresentou uma coleção voltada para o público com deficiência. Com a ideia, ela foi parar na lista 30 Under 30, da Forbes, e recebeu encomendas para criar peças para museus de Nova York. Essas oportunidades surgiram antes que a Ffora chegasse ao mercado.

Inicialmente, Lucy se dedicava ao vestuário prêt-à-porter. A inspiração para atender à comunidade com deficiência surgiu em uma conversa com um parente com paralisia cerebral, condição que limitava seus movimentos.

“Rapidamente aprendi que, de fato, havia algumas coisas que eram desafiadoras para ele, e isso abriu completamente meus olhos. Desafiou-me a considerar melhor a acessibilidade de minhas criações, a estender a mão e ouvir as histórias de outras pessoas”, contou em entrevista à Teen Vogue.

O foco mudou para os acessórios depois de um incidente específico. Em um dia de chuva, ela viu cadeirantes se sentarem em cima de itens como telefones e carteiras para mantê-los secos.

“Foi quando eu decidi perguntar sobre acessórios e onde as pessoas guardavam seus objetos de valor. Questionamentos como ‘O que você faz com uma xícara de café quente? O que você faz com seus cartões de crédito?’. Percebi que não havia realmente nenhuma solução de como prender bolsas e acessórios a dispositivos de mobilidade. E foi assim que a marca começou”, explicou ao site Fashionista.

Junho de 2017 foi o momento de tirar a ideia do papel. Até ganhar forma, o projeto teve o apoio de usuários de cadeiras de rodas, envolvidos em todo o processo remuneradamente, desde a identidade visual até a escolha dos preços.

Agora, a etiqueta ganha vida com um e-commerce próprio.

 

Reprodução/Ffora
Nessa terça-feira (30/07/2019), a estilista galesa Lucy Jones lançou a marca Ffora, nos EUA

 

Reprodução/Ffora
De início, a etiqueta oferece três produtos: uma bolsa com dois tamanhos disponíveis, um porta-copos e um encaixe fixador

 

Reprodução/Ffora
O encaixe, chamado de attachment system, segura o porta-copos e a bolsa Essentials

 

O nome Ffora é inspirado na palavra latina fora, que quer dizer “fóruns”, como informa o WWD. Já o F duplo é uma referência ao País de Gales, no Reino Unido, terra natal da estilista. No vocabulário galês, é comum que essa letra seja usada dobrada.

Até o momento, o site só entrega nos Estados Unidos, com preços de US$ 25 a US$ 138. Segundo a designer, uma cadeira de rodas tem uma vida útil de cinco a sete anos. Por isso, a durabilidade dos acessórios é outro detalhe que ela priorizou. “Eu queria que meus produtos durassem isso e até mais”, disse.

A bolsa de couro Essentials é versátil e pode ser usada de várias formas: ombro, cross-body e como pochete.

 

Reprodução/Ffora
Os kits mais completos saem por valores de US$ 182 a US$ 212, mas, por enquanto, a marca só entrega nos Estados Unidos

 

Reprodução/Ffora
Porta-copos em diferentes cores

 

Reprodução/Ffora
Attachment system, encaixe desenvolvido pela marca

 

A Ffora tem apoiadores célebres, como a modelo Jillian Mercado, a atriz e modelo Shashi Bangera, o jogador de basquete Steve Serio e o artista Jerron Herman. A marca considera esse como um passo inicial para contribuir com um mundo mais acessível. Com o passar do tempo, deverá expandir o catálogo.

O desenvolvimento do projeto durou dois anos. Ainda ao Fashionista, a designer, de 27 anos, disse que esse período foi o mais difícil, mas também o melhor de sua vida.

Além do curso na Parsons, Lucy estudou design de moda em Nova York em 2011. Antes de iniciar o próprio negócio, trabalhou como inovadora social em uma residência de um ano na marca Eileen Fisher, em parceria com o CFDA. Também ingressou em um programa de business da XRC Labs.

“Meu objetivo é que a Ffora apoie a continuação dessa conversa, motive outras pessoas e eleve os padrões, demonstrando o quão inventiva uma marca de moda e estilo de vida pode ser”, disse ao site da revista Paper.

Veja outras opções de cores na galeria:

Vale lembrar outra iniciativa voltada para o mesmo público: a marca irlandesa Izzy Wheels, que oferece acessórios coloridos para enfeitar as cadeiras de rodas. O projeto, lançado em 2016, tem assinatura das irmãs Ailbhe & Izzy Keane.

Colaborou Hebert Madeira

SOBRE O AUTOR
Ilca Maria Estevão

Bacharel em psicologia pela Universidade Georgetown, em Washington D.C. (EUA). É apaixonada por moda e acompanha toda movimentação no universo fashion.

Últimas notícias