Calendário Pirelli 2021 não será lançado devido ao coronavírus

O projeto anual realizado pela marca de pneus destinará 100 mil euros para a pesquisa e o combate à pandemia de Covid-19

Emma Watson no Calendário Pirelli 2020Paolo Roversi/Pirelli Calendar

atualizado 27/03/2020 20:48

A produção do Calendário Pirelli 2021 foi cancelada devido à pandemia do novo coronavírus. Por isso, a edição do ano que vem não será lançada, como informa um comunicado publicado nessa terça-feira (24/03). O projeto também doará 100 mil euros (cerca de R$ 545 mil) para financiar pesquisas e o combate à doença Covid-19.

É a primeira vez desde os anos 1980 que a Pirelli faz uma pausa do calendário mais famoso do mundo, também conhecido como The Cal. Na historia, o anuário da marca italiana deixou de circular em duas ocasiões: a primeira no ano de 1967 e, depois, no intervalo entre 1975 e 1983.

“A emergência sem precedentes da Covid-19 nos obrigou a fazer isso novamente. Retornaremos ao projeto quando for o momento certo, juntos às pessoas que estavam trabalhando nisso conosco”, informa o CEO da Pirelli, Marco Tronchetti Provera, em comunicado à imprensa.

Superar a pandemia é a prioridade da fabricante de pneus neste momento. “Todos os anos, temos um sonho para o nosso calendário de inspirar, excitar, emocionar. Neste ano, nosso sonho deve ser que o mundo supere a ameaça da Covid-19 e se cure”, diz uma mensagem publicada no Instagram do projeto.

A Pirelli anunciou, nessa terça-feira (24/03), que cancelou a produção e o lançamento do Calendário Pirelli 2021 devido à pandemia do novo coronavírus. Foto dos bastidores da edição 2020

 

O projeto doará 100 mil euros (cerca de R$ 545 mil) para financiar a pesquisa e o combate à Covid-19

 

Esta é a primeira pausa no calendário mais famoso do mundo desde 1983, quando ele retornou do segundo hiato

 

Foto de Clive Arrowsmith para o Calendario Pirelli 1992
No passado, a folhinha não foi publicada em 1967 e no intervalo entre 1975 e 1983. Esta foto é de Clive Arrowsmith para a edição de 1992

 

Foto de Francis Giacobetti para o Calendario Pirelli 1970
“Retornaremos ao projeto quando for o momento certo”, comunica o CEO da fabricante de pneus. Foto de Francis Giacobetti para o The Cal 1970

 

Foto de Mario Testino para o Calendario Pirelli 2001
Esta, de Mario Testino, saiu no anuário de 2001. O calendário foi lançado em 1964

 

Lançado em 1964, o Calendário Pirelli foi uma ideia da subsidiária britânica da marca. Cobiçado pelos fotógrafos do segmento e um marco na história da moda, teve 47 edições até 2020, sob as lentes de 37 profissionais diferentes. Alguns deles dirigiram mais de uma edição.

Nestes mais de 50 anos, a lista é cheia de nomes importantes e reconhecidos da fotografia fashion, como Peter Lindbergh, Mario Testino, Tim Walker, Steven Meisel e Mert & Marcus. Entre a maioria formada por homens, o projeto teve quatro mulheres no comando: Sarah Moon, Joyce Tennyson, Annie Leibovitz e Inez, da dupla Inez & Vinoodh.

Como se sabe, uma produção desse nível envolve o trabalho de vários pessoas, como stylists e artistas de beleza. No caso do Calendário Pirelli, é tradição a participação de modelos renomadas e estrelas de Hollywood e da música. Gisele Bündchen, Kate Moss, Naomi Campbell, Keira Knightley e Nicole Kidman são alguns exemplos.

Clique de Gisele Bündchen no Calendário Pirelli de 2006, em um livro do duo de fotógrafos Mert & Marcus

 

Sonia Braga por Steve McCurry em 2013
Ao longo de meio século, The Cal teve 47 edições, sob as lentes de 37 fotógrafos. Nesta imagem, Sonia Braga posa para Steve McCurry na edição de 2013

 

Jennifer Lopez por Mert e Marcus no Calendario Pirelli 2006
O projeto é um marco na fotografia de moda e é cobiçado por muitos profissionais do setor. Jennifer Lopez por Mert & Marcus no The Cal 2006

 

Foto de Patrick Demarchelier para o Calendario Pirello 2008
Foto de Patrick Demarchelier para o Calendario Pirelli 2008

 

O italiano Paolo Roversi (foto) foi o escolhido para o calendário de 2020

 

A edição 2020, com tema Procurando Julieta (Looking for Juliet), foi fotografada e dirigida pelo italiano Paolo Roversi. As imagens mostram celebridades como Emma Watson, Rosalía e Kristen Stewart interpretando suas próprias versões da famosa personagem de William Shakespeare.

A produção levou seis meses, dividida entre Paris e a cidade italiana de Verona. “Eu continuo procurando por Julieta e acho que sempre procurarei, pelo resto da minha vida, porque, no fim, ela é nada menos que um sonho”, divagou Roversi no comunicado.

Já em 2019, o responsável pelas imagens foi o escocês Albert Watson. Gigi Hadid, Julia Garner, Laetitia Casta e Misty Copeland estapam as fotos como personagens femininas e suas aspirações. O tema escolhido para a edição foi Sonhando (Dreaming).

Emma Watson interpretando sua própria versão de Julieta em uma das imagens da edição 2020

 

A cantora catalã Rosalía também participou. O clique é dos bastidores

 

Outra “Julieta” da edição Procurando Julieta foi a atriz Kristen Stewart

 

Gigi Hadid em foto de Albert Watson para o The Cal 2019

 

Albert Watson é um fotógrafo escocês

 

Mais um clique com Gigi

 

Até mesmo Karl Lagerfeld, lendário estilista alemão e que também era fotógrafo, chegou a dirigir uma edição do anuário. O antigo diretor criativo da Chanel e da Fendi assinou a produção do ano de 2011, com participação de várias modelos, incluindo a brasileira Isabeli Fontana.

Julianne Moore por Karl Lagerfeld no Calendario Pirello 2011
Julianne Moore sob o olhar do lendário Karl Lagerfeld no Calendario Pirelli 2011

 

Patti Smith por Annie Leibovitz no Calendario Pirelli 2016
Roqueira Patti Smith em edição revolucionária clicada por Annie Leibovitz para o ano de 2016, a o segundo trabalho da fotógrafa norte-americana para o calendário

 

Antes conhecido por imagens de mulheres hipersexualizadas, o calendário assumiu um tom mais politizado após Annie Leibovitz conduzir a edição de 2016. Desde então, aborda a feminilidade com um viés de protagonismo.

 

Colaborou Hebert Madeira

Últimas notícias