Instituto repudia ação do MPF contra Santa Cruz: “Mordaça”

Presidente da OAB disse que Moro agia como "chefe de quadrilha" e foi denunciado por calúnia

atualizado 20/12/2019 11:52

redes sociais/ reprodução

O Instituto de Garantias Penais (IGP) divulgou, nesta sexta-feira (20/12/2019), nota de repúdio contra denúncia oferecida pelo Ministério Público Federal (MPF) em desfavor de Felipe Santa Cruz, presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

“De fato, parece haver uma lamentável pretensão de institucionalização da mordaça, por parte de algumas das autoridades responsáveis pela persecução penal, para que haja a estigmatização da advocacia e da sua própria representação”, afirma a nota.

De acordo com a entidade, que reúne renomados advogados criminalistas, a representação “inegavelmente revela um desconcerto jurídico”.

A denúncia foi oferecida pelo Ministério Público Federal no Distrito Federal, quarta-feira (18/12/2019), por calúnia contra o ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sergio Moro. Ao comentar a Operação Spoofing, que investiga invasões de hackers a celulares de autoridades, Santa Cruz afirmou que o ex-juiz agia como “chefe de quadrilha”.

Confira a nota:

Reprodução

Últimas notícias