Coronavírus: Ibaneis anuncia Hospital de Campanha em Ceilândia

O governador do DF visitou as instalações do hospital de campanha do Mané Garrincha, que deve abrir no dia 20 de maio

O governador Ibaneis Rocha (MDB) visitou as instalações do Hospital de Campanha do Mané Garrincha na tarde desta segunda-feira (11/05). A previsão é de que a unidade de saúde comece a receber pacientes no próximo dia 20.

Na ocasião, Ibaneis anunciou a construção de um hospital direcionado a pessoas com coronavírus em Ceilândia – o local contará com 60 leitos.

Após a pandemia, funcionará como o Hospital Materno-Infantil da região administrativa. A inauguração de unidade de saúde dessa natureza já era um plano do governo.

Ibaneis lembrou que o Sistema S alugou o prédio do Centro de Convenções Internacional do Brasil (CICB) para erguer um hospital destinado a receber, também, pacientes com a Covid-19.

1/7
Compra foi anunciada pelo governador Ibaneis Rocha em 11 de maio
O Distrito Federal registrou mais uma morte em decorrência do novo coronavírus. É o segundo óbito que entra para a estatística oficial nesta segunda-feira (11/05)
No entanto, moradores de rua foram flagrados sem máscara no DF
O DF prepara a reabertura de shoppings e comércio desde o dia 18 de maio
Grande parte da população tem adotado o uso de máscara no Distrito Federal
A máscara é item obrigatório nas ruas e no transporte público
O GDF passou a fiscalizar o uso de máscara na rua nessa segunda-feira (11/05)

O novo hospital deve ser instalado próximo da Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Ceilândia, em uma área da Secretaria de Saúde, segundo o subsecretário de Infraestrutura da Saúde, Isaque Albuquerque.

O titular do Palácio do Buriti disse que o DF tem hoje 110 leitos de unidades de terapia intensiva (UTIs) e cerca de 240 de enfermaria disponíveis. “Teremos leitos para atender toda a população”, afirmou o governador. “Queremos passar essa tranquilidade a todos com responsabilidade”, enfatizou.

Sobre o crescente número de casos de coronavírus e óbitos em decorrência da doença em regiões administrativas afastadas dos locais mais nobres da capital do país, o emedebista pontuou que esse movimento era esperado.”Sabíamos que a doença chegaria ao Plano Piloto, Lago Sul, e depois ia se estender para as outras regiões administrativas”, frisou.

“Temos um número muito grande de pessoas curadas e de pacientes que estão se restabelecendo de forma positiva”, assinalou o mandatário do DF.

No Mané Garrincha, serão entregues 100 leitos no próximo dia 20; mais 73 em 30 de maio; e a operação plena, incluindo as UTIs, em 10 de junho, segundo previsão do GDF.