Coronavírus: DF tem 317 casos, duas mortes e 38 internados

Entre os casos, 217 pessoas estão com infecção leve. Outras 26 apresentam infecções graves; e 12, críticas, segundo último balanço do GDF

Passou de 312 para 317 o número de casos confirmados de coronavírus no Distrito Federal. São seis novos registros de segunda-feira (30/03) para esta terça-feira (31/03). Ao todo, conforme o último balanço divulgado pelo GDF, às 12h10, 146 pacientes infectados já se curaram. Outros 38 estão internados e dois morreram.

Entre os casos, 217 pessoas estão com infecção leve. Outras 26 apresentam infecções graves; e 12, críticas. A maioria — 100 pessoas — está na faixa etária de 31 a 40 anos. O governador Ibaneis Rocha (MDB) confirmou ao Metrópoles, nesta terça, que vai ampliar as restrições ao comércio e escolas até o dia 13 de abril. O prazo de reabertura, estabelecido em decreto, ia até 5 de abril, mas será estendido.

Novo Coronavírus (Covid-19), terça-feira (31/03), às 12:10

Casos ativos: 317 
Total de recuperados: 146
Total de óbitos: 2
Novos casos: 6

Domiciliar
Pacientes com infecções leves: 217

Intra-hospitalar
Pacientes com infecções graves: 26
Pacientes com infecções críticas: 12

Em investigação
Pacientes em investigação: 60

O morador do Núcleo Bandeirante Maurílio José de Almeida, 77 anos, é a mais recente morte registrada no DF por coronavírus. Ele estava internado na UTI do Hospital Brasília, no Lago Sul, desde 27 de março, e morreu no domingo (29/03). O teste do paciente foi confirmado para a Covid-19 nessa segunda-feira (30/03). Ainda de acordo com a pasta, o idoso apresentava comorbidades que agravaram o quadro de saúde. Além disso, tinha neoplasia, cardiopatia e doença pulmonar obstrutiva crônica.

No fim de semana, o GDF comunicou a primeira morte por coronavírus no DF. Trata-se de uma paciente de 61 anos. Ela estava internada no Hospital Regional da Asa Norte (Hran) e faleceu na unidade de saúde no dia 23 de março. A confirmação de que a moradora de Brasília tinha a Covid-19 veio nesse domingo, com o resultado da contraprova, realizada pela Fiocruz, no Rio de Janeiro. A enfermeira Viviane Rocha de Luiz também tinha comorbidades.