Banco do Brasil baixa salários de novos executivos

A instituição financeira divulgou aos empregados as novidades que alteram, por exemplo, a remuneração de gerentes

O Banco do Brasil divulgou aos empregados a reestruturação nas funções da instituição financeira. Uma das mudanças é a redução nos salários de novos executivos e gerentes.

As alterações foram publicadas internamente nesta segunda-feira (03/02/2020) e já constam no sistema do banco.

O salário de gerente executivo, por exemplo, passa de R$ 37.930,12 para R$ 32.084,00. E a remuneração de gerente de soluções cai de R$ 25.536,38 para R$ 24.034,00.

Houve mudança também nos vencimentos de assessor UE, que passa a se chamar assessor II UE. Os salários para jornada de 8h passam de R$ 11.252,61 para R$ 10.862,88. No caso de meia dúzia de horas trabalhadas por dia, a remuneração sai de R$ 9.424,05 para R$ 8.147,25.

O que diz o BB

À coluna, o Banco do Brasil enviou um texto no qual diz que a instituição lançou uma série de medidas “que visam impulsionar a alta performance dentro da empresa, com foco na valorização do desempenho dos funcionários e no incentivo ao desenvolvimento profissional”.

O programa foi batizado de Performa: Desempenho e Reconhecimento.

Segundo o BB, ao longo dos estudos para implantação do programa, foi identificado que os valores utilizados pelo banco para remunerar funções de confiança e gratificadas “eram superiores aos valores praticados no mercado”.

“Diante da necessidade de busca constante de eficiência e de manter a competitividade da empresa, o banco revisou a remuneração fixa das funções de confiança e gratificadas”, aponta o texto.

“Com isso, o BB reduziu os valores que foram identificados como acima da média do mercado – a maior parte dos casos – e aumentou os que se mostraram defasados (gerentes de relacionamento PAA, Private Sofisticado e Corporate Upper Middle). A medida buscou maior alinhamento à média praticada no mercado”, acrescenta a nota.

O Banco do Brasil ressaltou, ainda, que os novos valores serão recebidos apenas pelos funcionários que forem promovidos a partir desta segunda-feira (03/02/2020): “As medidas não alteram a remuneração de escriturários e caixas”.

Outra novidade é a ampliação do público-alvo do Programa de Desempenho Gratificado (PDG), a partir do segundo semestre de 2020, para todos os funcionários do banco, com aumento dos percentuais de contemplados e dos valores das premiações por performance.

A previsão é distribuir R$ 450 milhões por ano, 120% a mais do que o praticado antes, para 40% dos funcionários.

“Os primeiros colocados no programa recebem premiação que pode chegar ao equivalente a quatro salários por ano”, frisa a nota do BB.