Rodada do Brasileirão tem gols anulados e até árbitro passando mal

Final de semana do futebol nacional foi de relativa tranquilidade para os juízes, especialmente em relação ao VAR

Alexandre Vidal & Marcelo Cortes / FlamengoAlexandre Vidal & Marcelo Cortes / Flamengo

atualizado 02/09/2019 16:19

Nesse final de semana, a arbitragem pôde dar uma respirada e seguir a rodada com poucas polêmicas, principalmente de VAR. Mas uma ou outra sempre tem, né?

Vamos à análise dos lances.

Bahia 1 x 0 CSA

Nem sempre a falta acontece onde está a bola. Tanto é verdade que o juizão não viu um pênalti claro a favor do Bahia. Enquanto o Ronaldo Alves, do Ceará, agarrava Gilberto dentro da área, o juiz estava olhando a bola à esquerda do campo, que ainda ia ser cruzada. Não dá pra marcar o que não viu. O VAR deu uma segunda chance e, dessa vez, vendo o agarrão no monitor, marcou o pênalti corretamente. O Bahia vibrou, mas o pênalti foi defendido pelo goleiro Jordi.

Chapecoense 0 x 1 Santos

O árbitro de vídeo ainda está meio perdido sobre qual lance deve chamar o juiz. Aos 33 minutos, o VAR sugeriu revisão de um possível pênalti para a Chape. Na jogada, Lucas Veríssimo e Everaldo disputaram a bola dentro da área. Lance total de interpretação e que deveria prevalecer a decisão de campo. Tanto é que o juizão foi ver e manteve a não marcação do pênalti. O contato foi normal. Senhor VAR, esqueça lances de interpretação. Favor só chamar em erro claro, ok?

O único gol da partida que deu a vitória ao Peixe foi irregular. Logo no início da jogada, Victor Ferraz, do Santos, estava muito impedido. O assistente deveria ter marcado na hora, mas vacilou. A Chapecoense recuperou a posse dE bola, mas perdeu logo em seguida para o Santos, que iniciou uma nova fase de ataque e fez o gol. Nesse caso, o VAR não pôde chamar, pois, na revisão de gol, são analisados impedimentos e faltas somente na fase de ataque, prévia ao gol. Erro da arbitragem dentro de campo com o VAR assistindo de camarote.

Internacional 3 x 2 Botafogo

Alex Santana teve o seu gol pelo Botafogo anulado. Durante a fase de ataque, Fernando, do Alvinegro, usou o braço pra dominar a bola. De acordo com a nova regra, se a bola pegar no braço/mão do atacante, não interessa a intenção, tem que marcar a falta. O juizão não viu, mas o VAR chamou e o gol foi corretamente anulado.

Flamengo 3 x 0 Palmeiras

O Palmeiras teve dois gols anulados por impedimento. Lances bem difíceis. No segundo gol, o assistente não quis nem esperar pelo VAR e já fez a marcação. Acertou e mostrou personalidade em um lance de centímetros.

Gustavo Gomez, do Palmeiras, tomou o vermelho direto por uma entrada de sola nas costas de Bruno Henrique. Expulsão indiscutível tanto pela forma como ele entrou quanto pela intensidade na hora de tentar disputar a bola. Jogo difícil de apitar, mas que a arbitragem conseguiu controlar bem. E, claro, o placar também ajudou.

Cruzeiro 1 x 0 Vasco

Deu ruim! O árbitro Héber Roberto Lopes teve uma infecção intestinal e ficou sem condições de comandar a partida. O regulamento diz que o substituto é o Avar (assistente do VAR), e não mais o quarto árbitro. O apito ficou com Marcelo Aparecido, que conseguiu comandar bem a partida.

Premier League

Assistindo ao jogo entre Arsenal x Tottenham, fiquei impressionada com a agilidade do VAR. No terceiro gol do Arsenal, o VAR rapidamente revisou a jogada e o gol foi anulado por impedimento. Tudo em menos de um minuto e, ainda por cima, a imagem foi divulgada com a linha do tira-teima. Impressionante! Esse é o VAR que nós queremos! O jogo terminou empatado em 2 x 2.

Para fechar a rodada 17 do Brasileirão, se enfrentam nesta segunda-feira (02/09/2019) Fluminense x Avaí, às 20h, no Maracanã. Boa sorte para as equipes e para a arbitragem.

SOBRE O AUTOR
Fernanda Colombo

Natural de Criciúma (SC), mora no Rio de Janeiro (RJ). Formada em educação física com especialização em jornalismo esportivo. Ex-bandeirinha da CBF aspirante à FIFA. Escritora, apresentadora e comentarista de arbitragem.

Últimas notícias