Linha de impedimento, a polêmica da vez

O impedimento, de preto no branco, virou um lance cinza. Por essa, nem o VAR esperava

Buda Mendes/Getty ImagesBuda Mendes/Getty Images

atualizado 07/10/2019 12:47

Na última semana, duas imagens de impedimento usadas e divulgadas pelo VAR geraram muita polêmica. Isso porque a linha inserida pela tecnologia não mostrava com clareza se, de fato, os jogadores estavam ou não adiantados.

A primeira imagem foi do empate entre Grêmio x Flamengo, pela Libertadores. No primeiro gol anulado de Gabigol, há apenas uma linha na cor azul, que dá a impressão de que o atacante do Flamengo está em posição legal. A decisão da arbitragem foi baseada em um pontinho branco milimétrico da chuteira de Gabigol, que aparece em cima da linha. Se realmente existir qualquer parte da chuteira do Gabigol em cima da linha azul, então o impedimento foi bem marcado. A regra não diferencia um impedimento de 1 cm a outro de 1 metro. Ambos são impedimentos!

Reprodução

A segunda imagem divulgada foi do jogo desse domingo (06/10/2019), do gol de Bruno Henrique, que deu a vitória ao Flamengo contra a Chapecoense. Mesmo com a linha e o tracejado em duas cores, a impressão que dá é que ele está adiantado. Essa grande dúvida é gerada principalmente porque a parte do corpo de Douglas, da Chape, mais próxima da linha de fundo é o bumbum. Já a de Bruno Henrique é o ombro, de onde foi tracejado uma linha vermelha até o chão. A tecnologia mostrou que o tracejado vermelho, quando encosta no gramado, está exatamente na mesma linha azul do zagueiro. Por isso que aparece só a linha azul, porque a vermelha está sobreposta. E por isso também a confirmação do gol. Os jogadores estão na mesma linha!

Reprodução/Premiere

Como funciona a tecnologia da linha?
Todo o campo de jogo é mapeado pelos programas do VAR. Apesar de termos a impressão de que algumas imagens estão com a linha distorcida, é pura ilusão de ótica, elas estão todas medidas conforme o campo. Ainda há o tracejado que é utilizado sempre que a parte mais adiantada não está em contato com o solo. A linha vermelha é a do atacante e a linha azul é a do defensor.

Mas por que tanta polêmica?
Não era para ter polêmica por dois motivos bem óbvios: é um lance factual, o jogador está ou não está impedido, e existe a tecnologia de linha, que mostra se há adiantamento ou não.

O grande problema é que as imagens, quando analisadas rapidamente, mostram o contrário da decisão do VAR ou não são claras. Em vez de tirar a dúvida do espectador, estão confundindo mais. E pior: colocando em xeque a credibilidade do VAR e dos gestores.

O que pode ser feito?
A imagem já está sendo divulgada, isso é ótimo. O que precisa ser feito agora é mostrar a maneira como a decisão foi construída. Precisamos ver para crer como a linha é montada, como é feito o tracejado. A Conmebol até divulgou parte das imagens e áudios da anulação do gol do Gabigol, mas o vídeo estava aparentemente cortado e partes importantes não foram mostradas.

Minha análise dos lances
Confesso que também fiquei na dúvida. As imagens não são nem um pouco didáticas e precisamos criar teorias para entendê-las. Prefiro acreditar na tecnologia e que as decisões tomadas foram corretas. O impedimento, de preto no branco, virou um lance cinza. Por essa, nem o VAR esperava!

SOBRE O AUTOR
Fernanda Colombo

Natural de Criciúma (SC), mora no Rio de Janeiro (RJ). Formada em educação física com especialização em jornalismo esportivo. Ex-bandeirinha da CBF aspirante à FIFA. Escritora, apresentadora e comentarista de arbitragem.

Últimas notícias