Fluminense e Ceará prejudicados pela arbitragem. Onde estava o VAR?

Na tarde desta segunda-feira (19/08/2019), a comissão de arbitragem da CBF anunciará medidas para a melhoria do sistema

Reprodução/TwitterReprodução/Twitter

atualizado 19/08/2019 14:16

Mais uma rodada com polêmicas de arbitragem. Quem reclamou muito, e com razão, foi o Ceará, que teve um pênalti não marcado. O Fluminense? Teve dois! Sem contar o gol do CSA que seria anulado porque saiu logo em seguida ao segundo pênalti não marcado para o tricolor carioca. Qual a coincidência desses lances? Em nenhum deles o VAR chamou o juiz para corrigir seu erro.

Já no clássico entre Vasco e Flamengo, sábado (17/08/2019), no Mané Garrincha, o árbitro de vídeo salvou duas vezes o árbitro de campo. E, no jogo entre Grêmio e Palmeiras, o VAR ficou de mãos atadas!

Ninguém mais aguenta as polêmicas de arbitragem no Brasil. Principalmente quando há erro do VAR, que era a grande promessa de justiça no futebol. Na tarde desta segunda-feira (19/08/2019), a comissão de arbitragem da CBF anunciará medidas para a melhoria da arbitragem. Ou seja, vem textão por aí!

Vamos às análises do fim de semana!

Fluminense 0 x 1 CSA
Aos 23 minutos do segundo tempo, Luciano Castán, do CSA, acerta o pé de Danielzinho, do Fluminense, bem em cima da linha da área penal. Pênalti que o árbitro Wagner Reway não marcou. Aliás, ele não marcou nem falta nesse lance. O VAR não quis chamar a responsabilidade e errou junto. Era lance pra revisar na telinha. Aos 32 minutos do segundo tempo, Ganso foi derrubado na área. O árbitro, de novo, não marcou nada e na sequência da jogada saiu o gol do CSA. Está certo que o Ganso valorizou na queda, mas o VAR tem as imagens e dava para ver que o contato do jogador do CSA foi só na perna do meia do Fluminense. Fiquei imaginando essa situação na cabine, deve ter sido uma loucura. Dois lances importantes seguidos para revisar. No fim das contas, ignoraram o pênalti e validaram o gol, que era para ser anulado, porque o pênalti foi antes.

São Paulo 1 x 0 Ceará
Aos 15 minutos do segundo tempo, o árbitro Gilberto Castro não marcou o pênalti claro de Tiago Volpi em Felippe Cardoso. Volpi foi disputar a bola, mas em vez de atingir a bola, acabou atropelando o jogador cearense dentro da área. Pênalti claríssimo! E o VAR? Deixou passar essa também!

Vasco 1 x 4 Flamengo
No clássico carioca, o árbitro Leandro Pedro Vuaden poderia pedir música, marcou três penalidades. Mas dessa vez o VAR funcionou e evitou dois erros contra o Vasco. No primeiro, a bola bate no braço de Thuler, do Flamengo, que estava aberto e bloqueou a passagem da bola. O árbitro bem distante da jogada deixou seguir e o VAR sugeriu a revisão. Pênalti bem marcado a favor do Vasco. O árbitro de vídeo entrou em ação de novo, na segunda penalidade marcada para o Vasco. Leandro Castán foi agarrado na área por Arrascaeta. O árbitro, que tinha mandado o jogo seguir, vendo as imagens voltou atrás e apontou para a marca da cal. O terceiro pênalti foi tão bobo que nem precisou de VAR. Bruno Henrique foi puxado na área por Henriquez, fora da disputa da bola. Apesar da queda do Bruno Henrique parecer um desmaio cinematográfico, teve o abraço apertado do jogador do Vasco e o pênalti foi bem marcado para o Flamengo.

Grêmio 1 x 1 Palmeiras
O Dudu bem que reclamou e pediu VAR no gol do Grêmio. A origem do gol foi de um lateral que o juiz inverteu. Era para o Palmeiras e o árbitro deu para o Grêmio, que cobrou e fez o gol de empate. Acontece que o VAR não pode intervir nesse tipo de lance de erro de lateral, escanteio ou tiro de meta, mesmo que seja antes do gol. De mãos atadas, o VAR assistiu tudo de camarote, provavelmente torcendo para não sair o gol do Grêmio. De nada adiantou! Aliás, foi um golaço de David Braz. Sou capaz de arriscar que se o lateral fosse realmente do Grêmio e não do Palmeiras, esse chute do David Braz não entraria nunca.

SOBRE O AUTOR
Fernanda Colombo

Natural de Criciúma (SC), mora no Rio de Janeiro (RJ). Formada em educação física com especialização em jornalismo esportivo. Ex-bandeirinha da CBF aspirante à FIFA. Escritora, apresentadora e comentarista de arbitragem.

Últimas notícias