*
 
 

A minivan Chevrolet era um carro feio quando aqui chegou, em 2012. Melhorou num facelift tempos atrás, mas continuou estranho. No entanto, vendeu 200 mil unidades nesse período. Motivo: era e é o carro de família mais barato do país. Agora, ao dar um banho de loja no modelo – e também ao oferecer uma versão de sete lugares -, a General Motors deve manter com sobras a liderança do segmento de crossovers e minivans/peruas.

No geral, a Spin ganhou visual inspirado no Cobalt, com detalhes da Tracker (painel de instrumentos, por exemplo). Os faróis, a exemplo dos demais lançamentos recentes da marca, estão mais estreitos e agora as lanternas invadem a tampa do porta-malas.

São sete configurações disponíveis. Duas delas, inéditas: a automática em versão mais acessível e a aventureira de sete lugares. E são quatro opções de acabamento (LS, LT, LTZ e Activ).


Vida a bordo
Por dentro, o espaço – que já era bom – melhorou: o carro ganhou trilhos na segunda fileira de assentos para dar 6cm extras às pernas (ou aumentar em 5cm o espaço para bagagens).
E os bancos da frente ganharam encostos mais finos, com recuo de 2,6 cm na parte de trás, melhorando um pouquinho a vida de que viaja atrás.

Foto: GM Mercosul
No geral, os painéis e consoles ficaram um pouco mais refinados – principalmente na versão LTZ, conduzido por este colunista na região das Cataratas de Foz do Iguaçu, na fronteira com a Argentina. As texturas e revestimentos melhoraram, de fato.

Muitos itens de comodidade agora são de série desde a versão mais simples, como retrovisor com ajuste elétrico e sensor de estacionamento.

Segurança
Como é um carro de família, a Spin pecava por não ter o sistema Isofix, para fixação de cadeirinhas. Agora tem em todas as versões. Assim como cinto de três pontos e apoio de cabeça para o passageiro do meio traseiro (nas duas filas, no caso da de 7 lugares).

O controle de estabilidade não é ofertado, nem mesmo opcionalmente. A mudança do local do pneu-estepe, que agora fica no fundo do porta-malas, deixou o centro de gravidade do carro mais baixo e, portanto, o torna mais estável.

As versões topo de linha (LTZ e Activ) oferecem câmera de ré e acendimento automático dos faróis, assim como sensor de chuva e DRLs de série.

Desempenho

A Spin7 teve o motor flex 1.8 ECO atualizado. Agora, ele gera até 111cv de potência, com torque de 17,7kgfm. Com isso, faz de 0 a 100 km/h em até 11,3 segundos e de 80 a 120 km/h em até 9,7 segundos. A Spin ‘normal’, de cinco lugares, faz de 0 a 100 km/h em até 10,2 segundos.

Segundo a montadora, o consumo urbano da Spin7 é de 10,3 km/l (gasolina) e 7,0 km/l (etanol). O rodoviário é de 12,0 km/l (g) e 8,3 km/l (e). A Spin Activ tem resultados parecidos.

Há opções de transmissão automática ou manual de seis marchas – sendo que a primeira passou uma nova calibração, ficando com trocas mais suaves e lineares.


Versões e preços

LS manual – R$ 63.990
LT manual – R$ 68.990
LT automática – R$ 69.990
LTZ manual – R$ 78.490
LTZ automática – R$ 81.990
Activ automática – R$ 79.990
Activ7 automática – R$ 83.490


A traseira, que também era feia no início da década, foi totalmente remodelada e ficou muito bonita, com um ‘aerofólio’ esculpido na parte superior da tampa e lanternas mais alongadas e bipartidas. Até as cores (confira na galeria) são mais interessantes.

Foto: GM Mercosul

Com a grande possibilidade de configurações dos bancos, rebatimentos e trilhos, a capacidade de carga ficou muito interessante. Em certas situações, o porta-malas vai a 756 litros.

Desempenho

A Spin7 teve o motor flex 1.8 ECO atualizado. Agora, ele gera até 111cv de potência, com torque de 17,7kgfm. Com isso, faz de 0 a 100 km/h em até 11,3 segundos e de 80 a 120 km/h em até 9,7 segundos. A Spin ‘normal’, de cinco lugares, faz de 0 a 100 km/h em até 10,2 segundos.

Segundo a montadora, o consumo urbano da Spin7 é de 10,3 km/l (gasolina) e 7,0 km/l (etanol). O rodoviário é de 12,0 km/l (g) e 8,3 km/l (e). A Spin Activ tem resultados parecidos.

Há opções de transmissão automática ou manual de seis marchas – sendo que a primeira passou uma nova calibração, ficando com trocas mais suaves e lineares.



 


lançamentopreçosGMChevroletIsofixNova Spin 2019