Novo Chevrolet Cruze agora vem com Wi-Fi de alta velocidade a bordo

Modelo chega às concessionárias em setembro, mas não teve preço divulgado. Também ganhou um sistema que detecta pedestres e freia sozinho

Foto: GM Mercosul/DivulgaçãoFoto: GM Mercosul/Divulgação

atualizado 10/08/2019 9:31

A marca norte americana Chevrolet acaba de apresentar a jornalistas especializados o Cruze Premier, primeiro carro com Wi-Fi a bordo. A tecnologia garante conexão automática de alta velocidade para até sete dispositivos simultaneamente, mediante pagamento a uma operadora de celular: R$ 29,90, por exemplo, pelo plano de 2GB. 

Os compradores do novo modelo terão gratuitamente 3GB ou 3 meses grátis do serviço. Haverá também planos de 5GB, 10GB e 20GB, a preços ainda não revelados. Detalhe: só é aceito chip da Claro. 

“O brasileiro é um dos mais conectados do mundo e passa, em média, duas horas e meia por dia no trânsito de grandes centros. O Wi-Fi a bordo muda completamente a experiência do usuário no automóvel”, diz Carlos Zarlenga, presidente da GM América do Sul.

Além de não precisar usar o plano de dados de próprio smartphone para acessar a internet, o dono do Cruze Premier ainda tem à disposição uma intensidade de sinal até 12 vezes maior em deslocamentos.

A antena do veículo é dotada de sistema de amplificação. O posicionamento dela sobre o teto também contribui para reduzir a perda de sinal proveniente de áreas de “sombra”, como é chamado fenômenos que atrapalham a conexão.

Rosana Herbst, diretora de Serviços Conectados da GM, garante: quanto maior a velocidade de deslocamento, maior é a percepção da estabilidade de sinal que se tem a bordo do Chevrolet com Wi-Fi.

No caso do Cruze Premier, o Wi-Fi é nativo, faz parte da própria arquitetura eletrônica do modelo. Os engenheiros da General Motors garantem: isso permite melhor funcionamento, máximo nível de segurança cibernética e acesso no futuro a serviços conectados na tela do painel, como aplicativos que já existem hoje para smartphones. Aliás, o sinal do Wi-Fi funciona até 15 metros de distância do carro.

O sistema, porém, exige um certo tempo para o usuário dominar as funções e serviços. Pessoas familiarizadas com as novidades do mundo tecnológico não enfrentarão tanto obstáculos. Porém, os menos afeitos ao universo digital terão dificuldades.

Reconhecendo pedestres

O novo Cruze ganhou um importantíssimo equipamento de segurança: o sistema de frenagem automática de emergência, com detecção de pedestres. Tudo conjugado com um alerta de colisão frontal, outro de ponto cego e um assistente de permanência em faixa. Geralmente, só carros de categoria superior (de luxo e preço) costumam tê-los. 

 


Para dois celulares

Foto: GM Mercosul/Divulgação

O sistema multimídia MyLink do Cruze Premier também mudou. Ganhou, por exemplo, melhor resolução gráfica para a tela de 8 polegadas. E passa a pareamento via bluetooth simultâneo até dois celulares. Ganhou, também, mais uma entrada USB no console dianteiro, carregamento sem-fio e um sistema para reconhecimento do motorista: o carro automaticamente ajusta o conteúdo da tela do MyLink para as preferências memorizadas de cada usuário (aplicativos, estações de rádio etc). E mantém a compatibilidade com os sistemas Android Auto e Apple CarPlay de projeção de smartphones.

 


E mais

Stop/Start  – O Cruze Premier passa a vir com um botão para desabilitar o sistema Stop/Start (que desliga temporariamente o motor em paradas de semáforos, por exemplo, para economizar combustível).

Câmera de ré – É agora de alta definição.

Design –  Foram poucas mudanças no visual.Na parte frontal, novos para-choque, luzes auxiliares e grade. Na traseira, a novidade fica por conta das lanternas, que extrapolam o limite da carroceria. 

Foto: GM Mercosul/Divulgação

Motor – A marca manteve a estrutura: propulsor 1.4 turbo flex, com até 24,5kgfm de torque, e 153cv de potência, com câmbio automático de seis marchas.

Mimos – Há outros equipamentos e funções relevantes: sistema de estacionamento semiautônomo e acionamento da ignição por controle remoto ( para climatizar a cabine), por exemplo.

SOBRE O AUTOR
Renato Ferraz

Pernambucano e jornalista desde 1988. Trabalhou em veículos como Diário de Pernambuco, no Recife; revista Veja, em Belo Horizonte; Correio Braziliense, em Brasília. Tem duas pós-graduações: uma pelo Instituto Internacional de Ciências Sociais/Universidad de Navarra e outra pelo Centro Universitário de Brasília (UniCeub). Cobre o setor automobilístico há 15 anos.

Últimas notícias