Dois Onix Plus pegam fogo. GM suspende entrega e convoca recall

Motorista no Maranhão abre o capô e vê motor em chamas. Antes, um queimou dentro da fábrica, no RS. Software do motor pode ser a causa

Foto: GM Mercosul/DivulgaçãoFoto: GM Mercosul/Divulgação

atualizado 06/11/2019 16:52

A entrega de novos Onix Plus Premier, da Chevrolet, está suspensa depois que dois casos de incêndio foram registrados no Brasil. A fabricante General Motors já organiza processo de recall (convocação) para consertar o que estaria provocando esse fenômeno. Todos os já vendidos (um pouco mais de 8 mil) passarão pelo processo.

Um fato motivou a assustada reação da marca: vídeo circulando nas redes sociais mostra um Onix Plus em chamas perto de Mirador, no Maranhão. O incêndio foi no último dia 30 de outubro. 

Há um porém: ainda no pátio da Chevrolet, em Gravataí (RS), uma unidade pegou fogo. Além das versões conspiratórias sempre junto aos consumidores e jornalistas do segmento, o caso foi abafado. 

No caso do Maranhão, o motorista disse apenas ter “escutado um barulho no carro” e parou. Quando levantou o capô, as chamas já se alastravam, deixando o veículo todo destruído. 

Foto: Redes sociais/Internet

Nessa terça-feira (5/11/2019), a montadora distribuiu comunicado interno, logo vazado. Nele, os engenheiros dizem que “em condições muito específicas de pressão atmosférica, temperatura ambiente, umidade relativa do ar e composição do combustível, condições combinadas pouco prováveis, o software de gerenciamento do motor pode, eventualmente, apresentar uma falha, com risco de danos ao motor e potencial incêndio”. 

A linguagem é extremamente cuidadosa, com excessos de “porém” e “talvez”, como sempre ocorre nessas constatações de falhas. A nota diz, ainda, que essa condição “é precedida de um alerta visual no painel de instrumentos [luz do motor]” e que uma versão atualizada do software será enviada às concessionárias. 

Os clientes envolvidos no recall receberão um carro alugado pelo tempo que for necessário. A atualização deve ser “rápida”, segundo a montadora.

SOBRE O AUTOR
Renato Ferraz

Pernambucano e jornalista desde 1988. Trabalhou em veículos como Diário de Pernambuco, no Recife; revista Veja, em Belo Horizonte; Correio Braziliense, em Brasília. Tem duas pós-graduações: uma pelo Instituto Internacional de Ciências Sociais/Universidad de Navarra e outra pelo Centro Universitário de Brasília (UniCeub). Cobre o setor automobilístico há 15 anos.

Últimas notícias