Curiosidade: por que os cães comem cocô?

Os cães podem comer cocô por várias razões e muitas vezes, a coprofagia ocorre pela ausência de nutrientes ou questões comportamentais

atualizado 01/06/2020 10:54

Cachorro na grama Lucie Hošová/Unsplash

Alguns cães desenvolvem certos tipos de comportamento que são difíceis de serem interpretados pelos tutores. De acordo com uma lista publicada pelo site CyberPet, muitos tutores tentam entender o porque alguns cães comem cocô e como impedi-los de desenvolver esse hábito.

Pensando nisso, o Metrópoles conversou com o médico-veterinário, Caio Rebouças, para entender por qual motivo os cães comem fezes e como os tutores podem solucionar o problema. Confira:

1- O cãozinho come demais

De acordo com Caio, a coprofagia pode acontecer em cerca de 90% dos cães e na maioria das vezes o cãozinho desenvolve o hábito pois acaba ingerindo muita ração e as fezes acabam tendo um odor atrativo para o animal. “Como o animal não consegue digerir aquela quantidade grande de comida, as fezes acabam saindo com alguns nutrientes e um odor semelhante ao da ração. Então quando ele sente fome, ele acaba comendo o próprio cocô”, afirma.

2 – Cães que se alimentam juntos

O veterinário aponta que cachorros que comem juntos também podem a vir desenvolver esse comportamento. “Sempre vai ter um animal que é mais dominante que o outro, então esse que é mais dominante vai acabar comendo mais. E o cãozinho que acaba sendo submisso consequentemente, come menos e vai ter menos nutriente. Então quando o cachorro dominante defecar, o outro cachorro vai sentir fome e vai acabar comendo o cocô do outro”.

3 – Doenças gastrointestinais

“A presença de parasitas gastrointestinais, como a giárdia, e a deficiência de vitamina B1 também levam o animal a comer as próprias fezes, pois ele não vai estar absorvendo as proteínas, minerais e vitaminas de maneira correta. E doenças como a pancreatite também levam a coprofagia”, aconselha Caio.

4 – Problemas comportamentais

De acordo com Caio, fatores comportamentais também fazem com que o cãozinho acabe comendo as próprias fezes. Para ele, animais que passam muito tempo sozinhos fazem isso por tédio ou no intuito de chamar a atenção do tutor. “O animal pode praticar a coprofagia muitas vezes para chamar a atenção do dono e por estar entediado. E se o cãozinho sofre de punição excessiva, ou seja, o tutor briga com ele o tempo inteiro, ele pode acabar desenvolvendo esse comportamento”, afirma.

5 – Comer cocô faz mal para o animal?

“Sim, e faz mal para o pet e para o tutor. O cachorro que tem o costume de comer cocô vai ter um mau odor na região da boca e isso vai acabar incomodando o tutor. Além disso, se a coprofagia é diária, o animal vai ter infecções recorrentes, porque ele vai estar ingerindo parasitas e bactérias que são eliminados por meio das fezes”.

6 – Como evitar?

Para Caio é muito importante que o cachorro esteja com a vacinação e vermífugo em dia. O veterinário orienta que o animal tenha uma dieta balanceada e que o tutor sempre procure interagir com o cãozinho. Além disso, o tutor deve procurar sempre entreter e investir em brinquedos para o pet e procurar ter comedouros separados caso tenha mais de um pet em casa.

“O tutor precisa passear e brincar com o pet com frequência. O enriquecimento ambiental também é importante, então o tutor deve procurar deixar para o cãozinho brinquedos inteligentes disponíveis para que ele se ocupe quando estiver só. E por último, o tutor pode dar várias porções pequenas de ração ao longo do dia, porque com o alimento disponível será mais difícil que ele faça a coprofagia. E sempre leve o animal ao veterinário, pois ele pode precisar de uma suplementação alimentar”, finaliza.

Últimas notícias