Como ajudar nossos filhos a se adaptarem à vida escolar?

Período de adaptação envolve toda a família. Processo requer leveza, confiança e repetição

IStockIStock

atualizado 23/01/2019 6:29

Aos cinco meses, minha filha começou a frequentar a creche. Ainda muito pequena, ela tirou de letra. Na hora de começar na creche ou na escolinha, cada criança tem uma reação. Afinal, o que fazer para ter um período de adaptação mais suave para os nossos filhos? Como podemos ajudar a fazer deste momento algo leve e prazeroso para eles?

O período de adaptação de uma criança é certamente um momento de adaptação familiar. Trata-se de processo sistêmico, que requer leveza, confiança e repetição.

Confiar na sua escolha é o primeiro passo para um processo de adaptação amoroso e respeitoso. A segurança que você transmitirá será fundamental para o seu filho neste momento.

Assim, faça seu dever de casa completo: pesquise, conheça escolas, vá em horários diferentes, conheça os profissionais que trabalham lá, faça um check list do que valoriza, outro de coisas das quais não abre mão e outras tantas que não são prioridade. Por fim, escolha o melhor local para você e sua família.

A sua segurança neste processo vai ser sentida pelo seu filho lá no primeiro dia na escolinha, acredite.

Para a consultora familiar Alice Simão, não existe melhor idade para entrar na escola ou creche. “O importante é como a família conduzirá todo o processo e se a criança está pronta para este desafio”, ensina.

Ir ao colégio com o seu filho antes do início das aulas é também uma boa dica. Conheça os espaços, mostre os ambientes, o porteiro, a professora. Circulem e, se possível, brinquem um pouco no local. Diga que essa é a escola onde ele vai estudar e que fará amigos. Converse sobre o que ele espera. Faça deste importante momento algo especial para vocês.

O Colégio Maple Bear tem uma proposta pedagógica que preconiza o seguinte: tudo deve ser conversado antes para que não haja surpresas. Isso serve também para o período de adaptação. A coordenadora pedagógica do Fundamental 1 (Elementary), Amanda Payne, explica:

Torne este momento uma celebração positiva de vocês, conversem sobre as novidades que estão por vir, fale da rotina da escola. Conheçam juntos a sala de aula que ele irá estudar

Para as crianças de 1 a 3 anos, o Colégio Maple Bear oferece o processo de adaptação ainda mais suave, pois a instituição sabe que, para os menores, é ainda mais delicado esse momento. Nas primeiras semanas, os pequenos ficam menos tempo em sala e essa exposição é gradualmente ampliada até que o processo de adaptação esteja completo. Os pais também são convidados a estarem presentes no mesmo ambiente, passando ainda mais segurança para seu filho.

No período da adaptação é importante dizer para nossos filhos que vamos e voltamos. Mesmo para os mais bebezinhos. A criança pode não falar ainda, não transparecer que entende o que lhe é dito, mas é importante você olhar para o seu bebezinho e dizer: “Mamãe (ou papai) volta às 17h30 para te buscar. Divirta-se. Eu te amo!”.

Para Camila Antunes, pedagoga e educadora parental em disciplina positiva PDA, “transmitir e sentir segurança é fundamental. Ser honesto com nossos filhos, validar os sentimentos e sermos respeitosos”.

Gosto sempre de criar ritual de despedida com a minha filha, sinto que isso nos aproxima e materializa. Ela me dá um abraço, um beijo, um carinho ou 10 abraços, por exemplo. Ela diz que ficará com saudades e eu também. Podemos também criar um código não verbal. Quando viajo, beijo a palma da mão dela e falo para ela guardar no coração e lembrar que eu sempre estarei ali com ela

Ter em mente que o choro faz parte do processo de adaptação é a parte dolorida, mas necessária, deste momento. Por isso é tão importante o diálogo com a escola. Pergunte ao professor de seu filho se ele demora a se acalmar quando você vai embora ou se ele é acalmado facilmente. Se demorar, talvez seja o caso de você e a escola repensarem o período de adaptação; regredir alguns passos ou fazer uma adaptação ainda mais lenta e gradual.

Outra importante dica para o momento da chegada na escola é como você entrega o seu filho para a professora. Busque fazer isso, preferencialmente, quando ele estiver no chão e não no seu colo. E lembre-se: o movimento da entrega é seu, não é a professora que pega seu filho dos seus braços, e sim você que o entrega com suavidade para a professora.

Além disso, organize-se para saírem no horário, sem atrasos. A ida para a escola deve ser leve. Esquecer algo ou procurar pela agenda no momento da saída será, com certeza, um propulsor de ansiedade.

SOBRE O AUTOR
Christiane Fernandes

Pedagoga e psicopedagoga, especialista em Dificuldades de Aprendizagem pela Universidade de Brasília (UnB). É fundadora da Filhos – Educação e Aulas, empresa que atua na área de educação oferecendo aulas particulares desde 2005. Possui MBA em Gestão Empresarial com foco em estratégia pela Fundação Getulio Vargas (FGV).

Últimas notícias