José Ivacy expõe Poéticas do Tempo na galeria Karla Osorio

As peças, com curadoria de Bené Fonteles, são fruto do trabalho dos últimos 30 anos do artista

JP Rodrigues/Especial para MetrópolesJP Rodrigues/Especial para Metrópoles

atualizado 03/09/2018 15:43

O artista plástico José Ivacy lançou, nesse sábado (1º/9), a exposição Poéticas do Tempo, na galeria Karla Osorio, no Setor de Mansões Dom Bosco. A mostra conta com mais de 100 obras de seu acervo pessoal, as quais usam, principalmente, madeira e metais sob a influência do tempo. Apreciadores de arte, amigos e colegas de profissão marcaram presença na vernissage.

Natural de Morada Nova (MG), Ivacy chegou em Brasília com apenas 2 anos, em 1964. “Cheguei numa época na qual estava tudo em construção. Me lembro que, ainda pequeno, colhia coisas da rua, levava e pintava. Eu faço a mesma coisa desde os 7 anos”, lembrou. O artista considera, assim, esse trabalho como uma maneira de manter a criança interior viva. “É a minha forma de continuar brincando a vida inteira”, completou.

As peças são fruto do trabalho dos últimos 30 anos. Para chegar às obras expostas, ele contou com a curadoria de Bené Fonteles. Os dois partilham de uma grande afinidade poética e conceitual. O curador também foi o responsável por apresentar Ivacy à galerista Karla Osorio.

“A madeira amalgamada pela força do tempo ganha a cor velada da pintura, desvela em discreta patina e mantém a materialidade acesa, a textura clara, a energia do sol, da chuva e do vento, dando-lhe uma poética angular”, explicou o curador.

JP Rodrigues/Especial para Metrópoles
Bené Fonteles, Karla Osorio e José Ivacy

Grande parte das peças chegaram às mãos de Ivacy com forma, textura ou cor preservadas, tendo a simplicidade dos objetos mantida por ele. Entre elas, madeiras de fazendas do século 19, de Goiás, e vindas da reforma do Hospital Juscelino Kubitschek, no Núcleo Bandeirante.

Ivacy se considera um coletor de objetos. “Faço um trabalho de muito respeito com esses materiais. Como se eu estivesse deixando eles falarem também”, explicou. “Essa pátina, essa memória, o tempo que passou em cima daquele objeto sempre me interessou”.

A mostra individual fica exposta até 10 de outubro. Sempre de segunda a sexta-feira, das 9h às 18h30, e aos sábados, das 10h às 14h, mediante agendamento.

Confira os cliques:

JP Rodrigues/Especial para Metrópoles
Rosangela Moreira, Ademil Martinello e Maria Júlia

 

 

JP Rodrigues/Especial para Metrópoles
Patricia Bakaj e Hugo Rodas

 

 

JP Rodrigues/Especial para Metrópoles
Maria Júlia e José Ivacy

 

JP Rodrigues/Especial para Metrópoles
Guilherme Magal, Cláudia e José Freitas Cruz

 

JP Rodrigues/Especial para Metrópoles
João Trevisan e Marco Dantas

 

JP Rodrigues/Especial para Metrópoles

 

JP Rodrigues/Especial para Metrópoles
Rosângela Moreira, Ademil Martinello e Maria Júlia

 

JP Rodrigues/Especial para Metrópoles
Hugo Rodas

 

JP Rodrigues/Especial para Metrópoles
Samanta Sallum

 

JP Rodrigues/Especial para Metrópoles
Muna Ahmad e Paulo Lima

 

JP Rodrigues/Especial para Metrópoles

 

JP Rodrigues/Especial para Metrópoles
Karla Osorio e José Ivacy

 

JP Rodrigues/Especial para Metrópoles
Emílio e Ana Paula Beltrami

 

JP Rodrigues/Especial para Metrópoles
Ney do Prado Dieguez e Jeanina Daher

 

JP Rodrigues/Especial para Metrópoles

 

JP Rodrigues/Especial para Metrópoles
José Ivacy

 

JP Rodrigues/Especial para Metrópoles
João Trevisan

 

JP Rodrigues/Especial para Metrópoles
Patrícia Bakaj

 

JP Rodrigues/Especial para Metrópoles
Miguel Simão

 

JP Rodrigues/Especial para Metrópoles
Rosângela Moreira

 

JP Rodrigues/Especial para Metrópoles

SOBRE O AUTOR
Bethânia Nunes

Formada em jornalismo pelo Centro Universitário Iesb em 2014. Trabalhou na produção da TV Brasília e no Correio Braziliense por três anos, onde atuou como repórter no site do veículo. Desempenhou a função de assessora de imprensa no Grupo Objetiva até março de 2018. Atualmente, produz a coluna de Claudia Meireles.

Últimas notícias